Governo reforça actuação contra corrupção e branqueamento

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, afirmou nesta Terça-feira que as acções contra a corrupção e o branqueamento de capitais terão maior intervenção das instituições que combatem esses males

Para o governante, que falava no seminário de capacitação sobre o combate aos crimes de corrupção e branqueamento de capitais, a actuação terá como foco os valores da transparência, lealdade e rigor. Francisco Queiroz considerou natural o cepticismo que “ainda mora” na consciência de muitos relativamente ao combate à corrupção. Para se alcançar as metas estabelecidas no combate contra esse mal, o titular da pasta dos Direitos Humanos considerou imperioso que se capacitem os operadores de toda a máquina estatal.

A intenção é a de torná-los cada vez mais aptos para contribuir para o que chamou de causa comum, numa alusão à prevenção e ao combate à corrupção. Na ocasião, Francisco Queiroz referiu que o Ministério da Justiça desenvolve uma campanha de moralização da sociedade assente na prevenção, monitorização e responsabilização. Essa acção visa conduzir ao saneamento do ambiente em que trabalham os funcionários da justiça.

O seminário de capacitação sobre o combate aos crimes de corrupção e branqueamento de capitais envolve quadros das 18 províncias do país e especialistas estrangeiros. O evento enquadra-se no Dia Internacional de Combate Contra a Corrupção, assinalado Segunda- feira (10). Com duração de seis dias, o seminário decorre sob o lema “Corrupção – Um combate de todos para todos”. Durante a acção formativa foi apresentado o Plano Estratégico de Prevenção e Combate à Corrupção da Procuradoria – Geral da República (PGR) para o período 2018/2022, que começa a ser implementado em 2019.

error: Content is protected !!