“Pérolas” africanas buscam hoje a 13ª consagração

Hoje, às 16:00, no Pavilhão Kintele, em Brazzaville, a Selecção Nacional sénior feminina de andebol procura, frente ao Senegal, conquistar o 13º título continental do seu historial

POR: Kiameso Pedro

Depois de ter conquistado a 22.ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN), em 2016, as “Pérolas” Africanas vão, indiscutivelmente, “lutar” para revalidarem o ceptro continental. Para chegar a este patamar, Angola deixou pelo caminho, a congénere dos Camarões com o resultado (25-16), ao passo que o Senegal teve de “puxar dos galões” para suplantar a similar da República Democrática do Congo, por 22-21. Dotadas de argumentos técnicos e tácticos, as comandadas do dinamarquês, Morten Soubak, só precisarão de abordar este encontro com a mestria que lhes é peculiar.

À partida, Angola é favorita a vencer a contenda que terá como palco o Pavilhão de Kintele, em Brazzaville. Durante a fase de grupos, as campeãs africanas mostraram que são as melhores do continente. Inseridas na série B da prova, Angola não teve dificuldades para ultrapassar as suas opositoras, nomeadamente: República do Congo (país anfitrião), Guiné- Conacri, República Democrática do Congo e Marrocos. As angolanas terminaram a fase de grupos de forma invicta, com oito pontos somados.

Mas estranhamente, no último jogo frente às camaronesas, a Selecção Nacional demonstrou uma certa apatia, permitindo às compatriotas de Samuel Etóo, ganharem notoriedade ao longo dos 15 minutos da primeira parte, pois estiveram a perder por 6-5. Ontem, Soubak aproveitou o dia de pausa para corrigir os erros cometidos na partida transacta. Ataque planeado e contra-ataque dominaram a sessão de treinos. No que diz respeito à componente anímica, o grupo respira “ar puro”. Albertina Kassoma, atleta de 22 anos, poderá vir a ser distinguida como a MVP do africano de Brazzaville, fruto dos 34 golos marcados na presente edição da prova.

Kassoma vem sendo a jogadora com maior destaque nas manobras ofensivas do conjunto nacional. Esta tarde, o Senegal vai em busca do primeiro título. As senegalesas estão cientes de que terão de se aplicar a fundo para contrariarem os intentos do “sete” nacional. Além de marcarem presença nesta final, as agremiações de Angola e do Senegal confirmaram o passe para o Campeonato do Mundo, a disputar-se no Japão, em 2019. Para as classificativas do terceiro e quarto lugares, medem forças as selecções nacionais dos Camarões e da República Democrática do Congo, com horário marcado para as 12:30.

error: Content is protected !!