Queda de tronco da árvore Yala Nkuwu espanta autoridades tradicionais

Segundo os anciãos, a queda de galhos ou troncos desta árvore indicia ocorrência de tragédia num dos territórios que conformavam o antigo Reino do Kongo

A queda na madrugada desta Segunda- feira de um dos troncos da árvore milenar e sagrada Yala Nkuwu, na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, espantou as autoridades tradicionais do Lumbu (Corte Real Kongo) que receiam por uma eventual ocorrência trágica, nos próximos dias. A parte do tronco desta árvore mística que ensombrava a zona da avenida principal de Mbanza Kongo, onde está localizada, cedeu por razões que as autoridades tradicionais locais dizem desconhecer, já que nenhuma chuva forte caiu sobre a localidade.

Afonso Mendes, coordenador do Núcleo das Autoridades Tradicionais do Lumbu, em declarações a Angop esta Segunda-feira, recordou que as quedas de galhos ou troncos desta árvore sempre indiciam ocorrência de uma tragédia num dos territórios que conformavam o antigo Reino do Kongo. O ancião sublinhou que das quedas de troncos da misteriosa árvore que se têm memória desde 1961 e que culminaram em tragédias, esta é a maior de todas, mas tranquilizou dizendo que não deverá afectar a integridade total da planta que tem sabido rejuvenescer-se ao longo da sua existência milenar.

Avançou que está previsto, um ritual tradicional (Lembo na língua Kikongo) junto desta árvore localizada no quintalão do Museu dos Reis do Kongo, segundo prescreve a tradição, com a participação de entidades governamentais e munícipes. A entidade tradicional, realçou que durante a vigência do Reino do Kongo, um derrube do ramo desta árvore podia significar a derrota do exército konguês na frente de combate, a morte do Rei ou de outra entidade importante do reinado. Lembrou também de um acidente de aviação ocorrido em 1991 na vila fronteiriça do Nóqui, que vitimou o primeiro bispo da diocese de Mbanza Kongo, Dom Afonso Nteka, na sequência da queda de um galho desta árvore milenar.

Afonso Mendes referiu-se também ao despiste da aeronave da TAAG, ocorrida em Setembro de 2007na pista do aeroporto de Mbanza Kongo, que provocou entre outras, a morte do então administrador municipal, Manuel Paciência, e do Padre capuchinho italiano, Frei Giorgio Zulianello. Alguns historiadores aventam a hipótese de a árvore misteriosa e sagrada Yala Nkuwu ter sido plantada antes ou depois de 1483. Yala Nkuwu é uma árvore sagrada, do género Nsanda (mulembeira) que se encontra no centro da cidade, entre o Kulumbimbi e o palácio dos Ntotilas soberanos. A árvore é fundamental na ancestralidade do Reino do Kongo, cuja capital era Mbanza Kongo, representando a lei e a ordem ancestral. Debaixo desta árvore ocorriam os julgamentos contra as transgressões sociais e espirituais. Yala Nkuwu carrega em si o poder de julgar, de zelar pela manutenção da tradição e fazer cumprir os desejos ancestrais.

error: Content is protected !!