Atelier Guilherme Mampuya comemora hoje 2 anos com exposição e lançamento da marca CM no HCTA

Música, moda, recitais e spoken word na voz dos poetas Pedro Bélgio, Gino Sacramento, Zola Ramos, Ismael Farinha e Cláudio Gomes marcarão o acto inaugural da exposição comemorativa do Atelier do artista Guilherme Mampuya, esta tarde no HCTA

O Atelier Guilherme Mampuya celebra esta Quinta-feira, 2 anos de existência, com uma exposição de artes plásticas, moda e música, a partir das 18 horas e 30 minutos no Hotel de Convenções de Talatona (HCTA), em Luanda. A colecção reúne 20 obras em acrílico sobre tela e óleo, faz parte do acervo do Banco de Fomento Angola (BFA), adquirido ao longo de 12 anos no atelier do artista. A exposição retrata o quotidiano social, o meio ambiente, a vida económica do país e não só, vislumbrando o surrealismo, abstracto e outras tendências das artes modernas.

À margem desta actividade, será também realizado o lançamento da marca de roupa CM, de Celeste Mampuya, esposa do artista, criada sob o signo Aves e Mares. A marca transcreve a liberdade criativa que caracteriza o povo angolano, que mesmo enfrentando inúmeros problemas continua sempre firme. A abertura do evento caberá aos poetas Pedro Bélgio, Gino Sacramento, Zola Ramos, Ismael Farinha e Cláudio Gomes.

O Espaço

O Atelier Guilherme Mampuya foi criado a 5 de Dezembro de 2016 e tem cumprido os objectivos para o qual foi concebido, não obstante o mentor do projecto ambicionar atingir outros patamares. Ao longo destes seus 3 anos de existência, o espaço realizou três exposições, tendo lançado para o mercado 7 novos talentos.

O artista

Guilherme Mampuya Wola, nascido a 4 de Novembro de 1974 na província cafeícola do Uíge, formou-se em Direito pela Universidade de Kinshasa, República Democrática do Congo. Dois anos depois, ingressou no curso de Pintura Básica, no Atelier de Avelino Kenga. Com o passar do tempo aperfeiçoou a técnica do retrato no Curso de Pintura de Retratos, no Atelier de pintura Honesto Nkunu – Luanda. Em 2005 ingressou na União dos Artistas Plásticos Angolanos (UNAP), tornando-se membro daquela agremiação artistica do país. Desde então, expõe com frequência, individual e colectivamente,e destes trabalhos destacam-se duas participações no EnsArte, na Trienal de Artes de Luanda, várias exposições individuais em Luanda e em Bruxelas – na Galeria “Lumieres d’Afrique”. Em 2008, Guilherme Mampuya vence o Grande Prémio de Pintura EnsArte.

Expõe ainda em diversos locais de Luanda como a Galeria Humbiumbi, o Hotel Trópico, o Hotel Alvalade, o Centro Cultural da Embaixada de Portugal e o Belas Shopping. Em Lisboa mostrou a sua obra, pela primeira vez, em 2010, na Galeria “Bernardo Marques”. Ainda no quadro da sua trajectória artística, o destaque reacai para a participação na exposição colectiva dos «10 Anos de Comemoração do Museu Afro Brasileiro em São Paulo, em 2014. Em 2016, com o auxílio da artista plástica Daniela Ribeiro, Mampuya passou a usar a Resina Époxi nas suas pinturas. O seu trabalho versa sobre o valor da metáfora através de várias simbologias onde a cor traduz a alegria, tendo uma das suas técnicas mais recentes a pintura sobre esculturas de gesso.

error: Content is protected !!