Polícia apreende 10 mil quilates de diamantes em Luanda

10.000 quilates de diamantes foram apreendidos nos dias 10 e 11 do corrente mês em Luanda, revelou ontem o porta-voz da Operação Transparência, comissário António Bernardo, segundo a Lusa

As pedras preciosas foram recuperadas pelos efectivos das forças de defesa e segurança envolvidos nesta operação que visa o combate à imigração ilegal e ao garimpo ilegal de diamantes nas províncias do Bié, Malanje, Moxico, Cuando Cubango, Uíge, Lunda- Norte e Lunda-Sul. O também comandante provincial de Malanje esclareceu que, na ocasião, procederam à apreensão de uma viatura, vários equipamentos de apoio, recontagem e determinação do valor do diamante.

Desde o arranque da operação, os agentes da Ordem já apreenderam várias pedras de diamantes, tanto em posse dos garimpeiros como de proprietários de casas de compra deste recurso mineral não renovável. Em função dos resultados satisfatórios dos primeiros dias desta operação, que se prevê decorrer até 2020, as autoridades anunciaram que a mesma seria expandida às províncias de Cabinda, Zaire, Luanda e Bengo, para impedirem que cidadãos estrangeiros ou nacionais escapem das “malhas da Polícia” com os referidos recursos.

Em jeito de pré-balanço, o comissário António Bernardo revelou que, até ao momento, já se fez o repatriamento voluntário de 439 mil imigrantes ilegais detectados em todo o país, sendo na sua maioria da República Democrática do Congo e que “nada traziam de valioso para o país”. “Apenas se dedicavam à delapidação da nossa economia e, também, em concurso, ao cometimento de vários crimes, como tráfico de seres humanos, exportação de capitais e até mesmo actos ruins”, frisou o comissário. A operação, que teve início a 25 de Setembro, está a ser coordenada pelo ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Pedro Sebastião.

error: Content is protected !!