Prémios

Nós somos mesmo o melhor país do mundo. Na área das finanças então, ninguém nos aguenta. É só ver como de há alguns anos para cá chovem prémios internacionais a celebrar a nossa inteligência financeira. Se não é para o ministro, é para o Ministério e agora, também para o Ministério, mas por via do país. Uma pouco conhecida GFC acaba de atribuir um prémio a Angola, a partir de Londres, pela emissão de eurobonds. E nós comemoramos. Desculpem, mas estou um pouco escaldado com estes prémios que o país vai ganhando, sobretudo porque reconhecem uma excelência que depois, de facto, não sentimos nas nossas vidas. Não digo que este não seja merecido, apenas gostaria que nos dissessem um pouco mais sobre a GFC, que também não ponho em causa, mas qual será a sua importância efectiva no mundo financeiro internacional? Este prémio, que exalta uma operação de venda, ou melhor, de colocação de dívida, dá-nos dinheiro? Pagamos nós? Pelo menos os consultores para a comunicação, etc., melhora o nosso rating? Os das Finanças que me desculpem as dúvidas, mas é que já recebemos tantos prémios e estamos como estamos… entendem né? Pronto, fiquemos só já assim à espera que nos digam exactamente o significado do prémio, o que representa de valor para o nosso desenvolvimento, quem é efectivamente esta firma e a sua importância no sistema financeiro e se a partir de agora ficamos como, só para comemorarmos todos por ficarmos a saber do que se trata…