Adão do Nascimento pode ter sido vítima de enfarte do miocárdio

Antigo ministro seria doente cardíaco e teria sofrido uma queda, dizem fontes em Maputo

Uma fonte do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) de Moçambique avançou hoje, Sexta-feira, a OPAÍS, que a morte do ex-ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento, ocorrida na Quarta-feira, 12, no quarto 512 do Maputo Afecc Gloria Hotel, se deveu a causas naturais, mais especificamente a um enfarte agudo do miocárdio. Entretanto um jornalista moçambicano disse a este jornal estar a correr em Maputo a informação de que “ele usava um aparelho para o auxiliar nos batimentos cardíacos (Pacemaker)”, algo que um familiar próximo diz “não corresponder à verdade”.

Questionada sobre a referencia a um suposto ferimento na nuca de Adão do Nascimento e a possível ligação à morte, a fonte do SERNIC disse não ter informação sobre a causa do “pequeno ferimento”, mas que “não foi a causa da morte” podendo o ferimento ter, eventualmente, resultado da queda em consequência do enfarte.

Referindo que se tratava de um exame conclusivo, afirmou ser normal nas autópsias fazer-se também exames de toxicologia e, “pelas conclusões, não se detectou a presença de nenhum elemento químico que causou a paragem cardíaca”.

Fontes cruzadas em Maputo indicam que Adão do Nascimento e David Leonardo Chivela, quadro do Ministério da Educação, chegaram àquele país no dia 6 de Dezembro, com previsão de regresso hoje, 14, para contactos de negócios.

Adão do Nascimento nasceu a 22 de Novembro de 1958. Era doutorado em Ciências de Educação, pela Universidade de Quebeque em Montréal, Canadá e tinha um Mestrado em Ciências Pedagógicas pelo Instituto Pedagógico Estatal Hertzen de Leninegrado, na ex-União Soviética.

Liderou o Ministério do Ensino Superior de 2012 a 2017, antes tinha sido secretário de Estado do Ensino Superior e vice-ministro para o Ensino Superior.

error: Content is protected !!