kero entrega kits escolares às crianças do Arnaldo Janssen

O mês de dezembro mobiliza empresas e pessoas singulares diariamente ao centro de acolhimento Arnaldo Janssen, que levam a sua solidariedade aos cerca de 120 meninos que ali residem

O centro de Acolhimento de Crianças Arnaldo Janssen (CACAJ) recebeu, ontem, nas suas instalações, no Palanca, o projecto Kero Kandengue, em companhia do Presidente do Conselho de Administração do Grupo Zahara, João Santos, que cumpriram mais uma das suas responsabilidades sociais, levando consigo donativos. A doação estava composta por bens alimentares e não alimentares, incluído kits escolares, tendo em conta que o centro este ano beneficiou de cinco salas de aulas, anexas a uma escola pública, a 8020, onde os meninos estudam sem precisar de sair da instituição.

João Santos afirmou que as acções de solidariedade têm acontecido ao longo do ano, e que os membros da sua equipa se deslocam ao centro e ajudam na melhoraria da instituição. “Acções como esta são realizadas em todas os lares que apadrinhamos e vão continuar em 2019”. O centro trabalha na reinserção da criança no seio familiar, mas têm registado muitos casos difíceis, em que a crianças ficam na instituição muito mais tempo, chegando a sair depois de constituírem família. De acordo com o director, João Facatino, estão com dificuldades financeiras, seguindo das de alimentação, vestuário, material de limpeza, entre outros.

Contou que por falta de verbas já sentiu a necessidade de fechar o centro, mas graças a ajuda que recebe da sociedade consegue mantê-lo a funcionar. “Por falta de verbas para pagar os professores a escola funcionou apenas um período, com o financiamento dos padrinhos. Se em 2019 o apoio aumentar, podemos trabalhar em dois turnos”. Os professores são colaboradores recrutados pela escola pública, mas pagos com as contribuições dos padrinhos, pois estudam na mesma escola, para além das crianças do centro, as dos arredores.

Menino de 12 anos procura pelos pais

Belmiro Manuel Cardoso, de 12 anos, é uma das crianças do centro e está fora do convívio familiar há dois anos. Depois de os pais, Manuel Cardoso e Feliciana Domingos Maurício, se terem separado, tentou procurar o progenitor e acabou perdido na cidade de Luanda. Na rua, durante duas semanas, foi resgatado pela equipa móvel do Centro de Acolhimento Arnaldo Janssen. Lembra-se apenas que residia no município de Cacuaco e tem três irmãos: Kito, Manucho e Maura. “Lembro que a minha mãe é um pouco forte e gosta de sorrir. O meu pai é magro e gosta de brincar”, conta.

error: Content is protected !!