Apoiantes do ex-líder do Shabaab chocam com a Polícia na cidade de Baidoa, na Somália

Em vésperas de eleições regionais, na capital do Sudoeste da Somália, um ex-militante do Al-Shabaab foi detido, o que resultou em conflitos e mortes

Autoridades prenderam Mukhtar Robow na Quinta-feira, acusando- o de trazer militantes islâmicos e armas de volta para Baidoa, a capital da região Sudoeste onde ele concorre à presidência. Os partidários de Robow enfurecidos pela sua prisão entraram em confronto com a Polícia apoiada pelas forças de paz da Etiópia em Baidoa, disse Hussein Aden, um oficial militar da cidade. O idoso Baidoa Saleh Isak acusou as autoridades de tentarem instalar o seu próprio candidato como presidente do Sudoeste, a primeira das sete regiões semiautónomas da Somália a realizar eleições presidenciais nos próximos meses.

“Ontem, 10 pessoas morreram e hoje mataram um legislador”, disse Isak à Reuters por telefone. As eleições são um momento crítico numa crescente disputa de poder entre o Governo central apoiado pelos EUA e as regiões onde os militantes da Al Shabaab mantêm uma presença após uma longa guerra civil. Aden apresentou um número menor de mortos de pelo menos seis, entre eles o legislador Abdishakur Bule. “Ele morreu no fogo cruzado entre manifestantes armados e polícias esta manhã.

A tensão é alta e não sabemos o que fazer ”, disse Aden à Reuters. Robow foi um destacado porta-voz do grupo e líder da Al Shabaab antes de renunciar publicamente à violência e reconhecer a autoridade federal em Agosto de 2017. O seu porta-voz disse que foi espancado por tropas etíopes, parte de uma força de paz da União Africana na Somália, no curso da sua prisão. Autoridades da capital da Etiópia, Addis Abeba, não foram imediatamente alcançadas para comentar o assunto.

error: Content is protected !!