Carta do leitor: Quando o país não tem leis

Gostaria de endereçar ao director desta publicação esta carta. Preferia que fosse numa fase de paz em que todos se pudessem rever. Infelizmente, não será agora, até porque o Ministério do Ensino Superior perdeu um grande quadro, no caso o então titular deste pelouro. Na ponta final deste ano lectivo, Angola perdeu um grande quadro Adão do Nascimento.

POR: Kianosseke Luís
Cacuaco- Luanda

Numa altura em que mais um ano terminou e novos alunos se preparam para entrar no ensino superior. Perder alguém é das coisas mais normais nesta vida. Perdeu um quadro mais difícil ainda. Adão ficará marcado por ter sido um dos ministros que se tentou bater por existirem universidades duvidosas, algumas das quais estavam mais preocupadas no aumento das suas receitas e não no melhoramento dos quadros. O Instituto Superior Politécnico Katangonjo, situado em Cacuaco, em Luanda, é um dos que existem em Luanda, mas parece não querer respeitar as leis deste país e todas as medidas que vão sendo tomadas. Independentemente das leis tomadas, o Katangonjo parece não respeitar o espaço em que se encontra e muito menos os que lá vivem, sobretudo os que lá estudam e tudo fazem para alimentar a sua estrutura. Nunca os encarregados de educação se furtaram das duas responsabilidades. Pagam quando têm as dívidas e assim será ao longo da formação dos nossos educandos. Agora, não podemos aceitar que este instituto imponha aos alunos o pagamento das mensalidades dos meses de Novembro e Dezembro ( que ainda não terminou) para que tenham acesso às notas. Caso contrário, dizem os responsáveis do Instituto Superior Politécnico Kangonjo, os alunos não terão acesso às notas. Aliás, muitos dos estudantes que lá vão já não têm acesso às notas por causa desta medida arbitrária. Os que ainda estão a espera de honrar o mês de Dezembro poderão ter o mesmo destin0, infelizmente. É claro que o nosso desabafo poderá merecer por parte do instituto uma reacção, o que é normal e aceitável. Esperamos até que isso aconteça, assim como, tal ditam as regras, se permita que os alunos tenham acesso. As universidades não podem ser meras cantinas como alguns pretendam. E esperamos que o Ministério do Ensino Superior saiba disso.

error: Content is protected !!