Morte de ex-ministro angolano em moçambique por esclarecer

Adão Gaspar Ferreira do nascimento, antigo ministro do Ensino Superior angolano, foi encontrado morto Quartafeira (12) num hotel em Maputo, Moçambique, em circunstâncias ainda não esclarecidas

Os relatos começaram a chegar na noite de Quarta- feira, dando conta da morte de Adão do Nascimento no Maputo Gloria Hotel, na capital moçambicana. Mas sem detalhes sobre as causas ou circunstâncias da morte do exministro. Nesta Quinta- feira de manhã, às redacções chegava uma nota de condolências da ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança Sambo, que escreveu que “a sua morte enluta não somente aos seus familiares e amigos, mas a toda a sociedade académica”. O malogrado foi ministro do Ensino Superior de 2012 a 2017.

Deixou o Governo em Março de 2017, altura em que foi exonerado pelo ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos. No período da tarde, um comunicado da Embaixada de Angola em Moçambique informava aos órgãos de comunicação social a morte do antigo ministro, no dia 12 de Dezembro, “no quarto 512 do Maputo Afecc Gloria Hotel”, adiantando que “o corpo do antigo membro do Governo, Adão Gaspar Ferreira do Nascimento, de 60 anos de idade, foi removido para a Morgue do Hospital Central de Maputo, para exame traumatológico”. Segundo fontes de OPAÍS, confirmadas pelo documento da embaixada, Adão do Nascimento chegou a Moçambique no passado dia 6 de Dezembro, com previsão de regresso para o dia 14, acompanhado pelo cidadão angolano David Leonardo Chivela, quadro do Ministério da Educação, adiantando a nota, no entanto, que “no momento da ocorrência cada um ocupava o seu quarto”.

No dia de ontem, o Serviço Nacional de Investigação Criminal de Moçambique (SERNIC) efectuava diligências com vista ao esclarecimento das circunstâncias da morte. Entretanto, uma fonte do SERNIC disse a OPAÍS que o alerta foi dado por uma cidadã moçambicana e que se estava investigar com muita atenção as causa de um ferimento na nuca do malogrado. Mais tarde, a voz da América noticiava que uma cidadã moçambicana tinha sido detida pelo SERNIC. “Uma mulher, que o encontrou caído, pediu ajuda aos ocupantes do quarto ao lado e ao pessoal do hotel, tendo sido de imediato transportado a uma clínica nas imediações, onde se decretou o óbito”. A fonte do SERNIC não adianta se a mulher era, ou não, funcionária do hotel, mas confirmou a atenção da perícia ao suposto ferimento na nuca, remetendo para posteriores informações.

error: Content is protected !!