OPEP prevê estabilidade do preço do petróleo em 2019

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) prevê a estabilização do preço do petróleo no mercado internacional em 2019, em função do corte da produção de cerca de um milhão e 200 mil barris/dia por estados produtores. A informação foi avançada à imprensa ontem, Domingo, 16, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, pelo secretário-geral da OPEP, Mohammad Barkindo, que visita Angola para reforço da cooperação e consultas com entidades do país, segundo a agência de notícias Angop

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) prevê a estabilização do preço do petróleo no mercado internacional, em 2019, em função do corte da produção de cerca de 1,2 milhão de barris/dia, por estados produtores a partir de Janeiro, segundo a Angop. Esta informação foi avançada ontem, Domingo, 16, à imprensa, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, pelo secretário-geral da OPEP, Mohammad Barkindo, que visita Angola para reforço da cooperação e consultas com entidades do país.

Lembrou que essa medida foi tomada num encontro realizado na cidade de Viena (Áustria), nos 6 e 7 deste mês, no sentido de assegurar que a estabilidade do preço do petróleo possa ser estabelecida em 2019 e permanecer nos anos subsequentes.

Disse tratar-se de um processo contínuo em que a OPEP e outros parceiros vão continuar a envidar esforços com objectivo de assegurar que a estabilidade seja sustentável e duradoura. Sobre o motivo da sua visita ao país, o dirigente da OPEP, informou que veio no âmbito do reforço da cooperação, e particularmente fazer consultas com os dirigentes angolanos, agora sobre um grande líder, o Presidente João Loureço, e passar a informação dos progressos alcançados pela OPEP até ao momento, assim como avaliar quais os caminhos a prosseguir nos próximos tempos.

Considerou Angola a sua segunda casa, por frequenta o país há cerca de 30 anos.Angola foi admitida a 14 de Dezembro de 2006 como membro de pleno direito da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, durante a 143ª conferência extraordinária do cartel, que decorreu em Abuja, Nigéria. A OPEP foi criada com o propósito de coordenar, de maneira centralizada, a política petrolífera dos países membros, de modo a restringir a oferta de petróleo no mercado.

Além de Angola, integram a organização, criada em 1960, Bagdad, a Argélia, Arábia Saudita, Emiratos Árabes Unidos, Iraque, Irão, Líbia, Indonésia, Nigéria, Venezuela, Koweit e Qatar, que anunciou a sua retirada do cartel a partir de Janeiro de 2019.

De nacionalidade nigeriana, Mohammed Barkindo, de 59 anos, foi nomeado para um mandato de três anos como secretário-geral da OPEP. Iniciou funções a 01 de Agosto de 2016, anteriormente, actuou como secretário-geral interino em 2006.

Formado pela Ahmadu Bello University e Southeastern University, Mohammed Barkindo representou a Nigéria no Conselho da Comissão Económica da OPEP entre 1993 e 2008.

error: Content is protected !!