Cidadãos extorquem dinheiro para ‘emprego’ no Caminho de Ferro de Moçâmedes

Um grupo de cidadãos está a usar o nome da empresa pública Caminhos de Ferro de Moçâmedes para extorquir dinheiro em troca de um lugar nesta instituição, segundo denúncia da direcção O Conselho de Administração do Caminho de Ferro de Moçâmedes (CFM), na pessoa do seu PCA, Daniel João Quipaxe, fez sair um comunicado que dá conta da existência de um grupo de indivíduos que, em nome desta empresa, vem extorquindo dinheiro a cidadãos angolanos com a promessa de emprego nas suas estruturas.

De acordo com algumas vítimas, que o CFM teve conhecimento, o grupo é liderado por um indivíduo identificado por Paulo Gouveia, que assume-se como director dos Recursos humanos da empresa. O CFM demarca- se deste tipo de atitudes e diz que o elemento em causa nunca fez e não faz parte do seu quadro de pessoal. “Esta empresa pública faz recrutamento mediante a realização de concursos ou contratação, mas nesta altura não existe qualquer processo de recrutamento.

O CFM não cobra, nunca cobrou qualquer valor aos candidatos a uma vaga de trabalho, pelo que apela às autoridades (Polícia) a tomarem todas as medidas recomendáveis para desbaratar esse grupo de impostores”, lê-se, no comunicado. O PCA do Caminho de Ferro de Moçâmedes aproveitou a oportunidade também para exortar igualmente aos cidadãos lesados e denunciarem às autoridades competentes os envolvidos, para que seja reposta a verdade e feita a justiça.

error: Content is protected !!