Sonangol e BP acordam parceria no domínio dos petróleos

Conceções petrolíferas e reservas de produtos refinados são alguns acordos assinados entre a Sonangol e British Petroleum (BP)

À sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) e a BP assinaram, ontem, Segunda-feira, 17, um acordo de investimentos no campo petrolífero Plantina, localizado em águas profundas do Bloco 18, em Angola. O acordo prevê igualmente a manutenção das reservas de produtos refinados em grande escala. Numa primeira fase, serão 641 mil metros cúbicos de diversos produtos. Na mesma ocasião, as partes rubricaram um acordo para extensão da licença de produção do projecto Grande Plutónio, no Bloco 18, operado pela BP até 2032, sujeitada a aprovação do Governo de Angola e para que Sonangol tenha 8 % de participação.

O projecto Platina será o primeiro desenvolvimento operado pela BP em Angola desde o início de produção de projecto PSVM no Bloco 31 em 2013. Representa a segunda fase de desenvolvimento do bloco 18 (o projecto Grande Plutónio, que iniciou a produção em 2007). De acordo com o PCA da Sonangol, Carlos Saturnino, foram assinados vários documentos, nomeadamente “concessões petrolíferas, com ênfase para o bloco 18, e o desenvolvimento do primeiro campo descoberto pela BP Angola denominado Platina; operações de trabalho para o bloco 31 e reforço da cooperação entre a BP e a Sonangol em Angola”, referiu.

Acrescenta que “existem perspetivas de investimentos nas conceções 46 e 47 e o memorando de entendimento começando pelo projecto de grande armazenagem, na barra do Dande, província do Bengo”, avançou. “Trata se de um projecto de grandes armazenagens que a Sonangol iniciou há alguns anos com o objectivo de ter reservas de produtos refinados”, realçou. O projecto será implementando de forma faseada, porém, tendo em conta a crise financeira, a obra registou paragens.

Referiu que a infra-estrutura enquadra- se na estratégia de criação de polos logísticos para o mercado doméstico e na região da SADC e tem uma ligação directa para a refinaria do Lobito. Por sua vez, o PCA do grupo BP, Bob Dudley, referiu que os acordos representam um marco histórico importante na relação com a Sonangol e constam num projecto offshore com a Sonangol. “Trata- se do projecto Platina e a extensão da licença da BP no Bloco 18”, lembrou. “A BP está em Angola há mais de 25 anos e temos sido um dos maiores contribuintes no sector energético. Já investimos mais de USD 30 mil milhões em Angola, que representam 10 % da produção global da BP”, explica. Segundo o responsável, até ao momento o grupo BP investiu mais de 100 milhões em projectos sociais de educação e saúde e conta com uma taxa de 87% de funcionários angolanos, que deverá crescer para 90 % em 2020.

Bloco 31 produz 110 mil barris/ dia

Neste momento, a produção no bloco 31, mais profundo em relação ao 18, ronda os 110 mil barris/ dia e pretende-se manter os níveis nos próximos anos. De acordo com o Bob Dudley, o projecto que é desenvolvido no bloco 31 é um dos maiores de subsuperficie do mundo, com cerca de 77 mil toneladas de equipamentos assentados numa área de 150 milhas quadradas.

error: Content is protected !!