Assembleia Nacional promete melhorar condições de trabalho para os jornalistas

O director do Gabinete de Comunicação e Imagem garantiu, nesta Segunda-feira, 17, que a Assembleia Nacional vai apetrechar a sala de imprensa para conferir melhor acomodação aos jornalistas

Domingos de Carvalho, que falava à imprensa à margem do seminário sobre “comunicação institucional”, que decorre desde Segunda-feira até hoje, afirmou que o objectivo é criar as mínimas condições de trabalho para os jornalistas. Este apetrechamento será feito na perspectiva de criar parcerias estratégicas que permitam, por um lado, difundir as actividades parlamentares, e, por outro, fazer com que os jornalistas se sintam “bem” ao trabalhar na casa das leis. “Queremos apetrechar a sala de imprensa com todos os ingredientes que se recomendam e que as boas práticas recomendam também”, garantiu.

O responsável explicou que o papel do gabinete que dirige é o de facilitar a vida dos jornalistas, criando condições possíveis para a cobertura exitosa das actividades parlamentares. Actualmente, a sala de imprensa da Assembleia Nacional não dispõe de computadores para os jornalistas, e a experiência apresentada por Portugal durante o seminário mostra que os profissionais de comunicação não só têm uma sala de imprensa na Assembleia da República, devidamente equipada, como também dispõem de lugares reservados na sala do plenário para acompanharem as sessões ao vivo.

Seminário encerra hoje

Durante três dias (de 17 a 19), profissionais das áreas de comunicação, de relações públicas e cerimonial da Assembleia Nacional, técnicos dos gabinetes de comunicação institucional e de imprensa dos outros órgãos de soberania do Estado, de ministérios e assessores dos grupos parlamentares estiveram em formação no seminário sobre “comunicação institucional no contexto parlamentar”. O encontro acontece no âmbito de uma cooperação entre a Secretaria Geral da Assembleia Nacional e a Secretaria da Assembleia da República de Portugal. O seminário, de realização bi-anual, enquadra-se nas acções da cooperação 2017-2018.

Dois prelectores de Portugal dirigiram as sessões de trabalho. Para o formador Nuno Tavares, as principais inquietações dos participantes estão relacionadas com a coordenação do trabalho dos meios de comunicação e a acção do parlamento. Para se ultrapassar estas preocupações, apelou para que haja entendimento entre as partes. Referiu, igualmente, ser importante uma salutar convivência entre todos os profissionais que labutam na casa das leis, bem como respeito pela instituição. Considerou útil o trabalho dos jornalistas dentro da Assembleia, sobretudo para a disponibilização de toda a informação. “Sem vocês a Assembleia não tem visualização externa”, disse.

Troca de experiências

Por sua vez, o director do Gabinete de Comunicação e Imagem da Assembleia Nacional, Domingos de Carvalho, disse que o seminário teve como objectivo a troca de experiências das realidades angolana e portuguesa, através dos meios técnicos e tecnológicos incorporados nas instalações da Assembleia Nacional, para facilitar o trabalho da área de comunicação institucional e a difusão das actividades através dos órgãos de comunicação social. Refira-se que por força da quadra festiva, a Assembleia Nacional entra em pausa parlamentar de 20 do corrente a 15 de Janeiro de 2019, sendo que a cerimónia de cumprimentos de fim do ano decorreu na Sexta-feira, 14, durante a última reunião plenária de 2018.

error: Content is protected !!