Fundistas estrangeiros regressam à São Silvestre dois anos depois

A São Silvestre 2018, corrida pedestre de fim-de-ano, que sai às ruas de Luanda no dia 31 de Dezembro, contará com a presença de fundistas estrangeiros, dois anos depois, segundo a organização.

Os prémios para os atletas estrangeiros estão garantidos, por isso vários países, com tradição na corrida de dez quilómetros, já confirmaram presença. O primeiro classificado vai embolsar 3 mil euros, o segundo 2 mil, ao passo que o terceiro receberá mil euros. De acordo com a organização da corrida, cuja meta será cortada no Estádio dos Coqueiros, Zâmbia, Namíbia, África do Sul, Botswana, Zimbabwe, Quénia, Etiópia e Portugal já têm as inscrições feitas. A prova, organizada pela Federação Angolana de Atletismo (FAA), vai premiar os atletas angolanos até ao décimo lugar. Por esta razão, o primeiro fundista angolano vai receber 500 mil Kwanzas, o segundo 400 e o terceiro 300.

O Ministério da Juventude e Desportos disponibilizou 18 milhões de Kwanzas para realização da São Silvestre 2018. De acordo com a organização, alguns patrocinadores também contribuíram para a materialização do certame que já vai na sua 63ª edição. Para a presente edição, a FAA pretende inscrever cerca de 3 mil atletas entre federados e não federados. Em 2017, Manuel Simão e Adelaide Machado venceram a prova de dez quilómetros, cuja meta é tradicionalmente cortada nos Estádio dos Coqueiros.

error: Content is protected !!