Ministro do interior apela para uma conduta mais adequada na quadra festiva

O ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, apelou ontem, em Luanda, aos cidadãos para uma conduta mais adequada na quadra festiva, que consiste numa maior contenção no consumo de bebidas alcoólicas e cooperação e acatamento das orientações das autoridades O governante falava na abertura do Conselho Consultivo do Ministério do Interior(MININT) e também disse ser necessário conter os excessos para que seja vivida uma quadra festiva tranquila.

Durante o seu discurso, recomendou aos membros da sua corporação a terem em conta as suas orientações em relação ao asseguramento da quadra festiva e prestar atenção particular a alguns crimes e aos acidentes e incidentes próprios desta época festiva. “Nós deveremos cuidar da quadra festiva e nos engajarmos neste período com o mesmo espírito de esforço e de sacrifício com que estamos engajados nas operações que estão em curso”, acrescentou. O titular da pasta do Interior referia- se concretamente ao combate aos crimes violentos e à imigração ilegal e o resgate dos bons hábitos e costumes, inseridos na “Operação Resgaste”, em curso no país há mais de um mês. Recordou que é nesta fase da quadra festiva que ocorrem mais crimes, sobretudo nas proximidades e saídas das agências bancárias.

Disse também ser um período fértil de ocorrências de casos de especulação, incêndios e afogamentos, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e outros. Segundo o ministro, a ingestão desregrada de bebidas alcoólicas tem “uma incidência bastante significativa a nível dos acidentes de viação”, bem como uma atenção particular a nível dos estabelecimentos prisionais na perspectiva da evasão. Por outro lado, o ministro apelou aos membros da corporação a não darem espaços aos chamados “comerciantes da fé”, cuja finalidade é a de extorquir os seus féis para atingir fins inconfessos.

disciplina no seio da corporação

O titular da pasta defendeu ainda a necessidade de se continuar a exigir disciplina, controlo e rigor, “depurando do nosso seio” todos os efectivos que insistem em manchar o bom nome dos órgãos do Ministério do Interior. Durante o encontro, o ministro disse ainda ter dado orientações ao comandante-geral da Polícia Nacional no sentido de trabalhar para dotar os agentes com meios de intervenção individual mais tradicionais. Trata-se de bastões normais ou especiais e gás lacrimogénio em spray, com vista a reduzir a utilização de armas de fogo, que têm estado a causar algumas situações menos boas e em alguns casos a morte de pacatos cidadãos.

error: Content is protected !!