Kremlin pressiona com contrato de mísseis da Turquia apesar do possível acordo de armas dos EUA

O Kremlin afirmou nesta Quarta-feira que a Rússia está prestes a firmar um contrato para entregar avançados sistemas de defesa antia-érea S-400 à Turquia, apesar do Departamento de Estado dos EUA aprovar a possível venda de um sistema rival de defesa anti-mísseis a Ankara

O Pentágono disse na Terça-feira que o Departamento de Estado dos EUA aprovou uma possível venda de USD 3,5 biliões dos sistemas de defesa aérea e anti-mísseis da Patriot para a Turquia, depois de notificar o Congresso sobre a certificação. Rússia e Turquia já concluíram um acordo para Ankara comprar o rival russo S-400 com entregas previstas para o próximo ano, apesar de os Estados Unidos e países membros da OTAN, já cautelosos com a presença da Rússia no Oriente Médio, alertando que não é compatível com as defesas da OTAN.

Falando a repórteres numa teleconferência, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que as transacções russas e americanas devem ser vistas como separadas, e que a Rússia está a cumprir os termos do acordo para equipar Ankara com a S-400. “Estes não são processos ligados. Neste caso, estamos a cumprir acordos que temos com os nossos colegas turcos. Você sabe que o contrato está a ser cumprido. Isso continuará”, disse Peskov. Ele disse que a Rússia confiava que a Turquia não divulgasse segredos sobre o sistema S-400 aos seus parceiros da OTAN. “Não vemos nenhum motivo para não confiar nos nossos colegas turcos”, disse Peskov, quando perguntado se Moscovo tinha dúvidas de que Ankara poderia compartilhar dados confidenciais sobre os S-400 com os americanos.

Autoridades norte-americanas e da OTAN advertiram repetidas vezes Ankara de que o sistema russo não pode ser integrado ao sistema de defesa anti-mísseis e aéreo da OTAN e que a compra do sistema S-400 comprometeria a compra de caças Lockheed Martin Corp F-35 pela Turquia e possivelmente resultaria na imposição de sanções por Washington. A Turquia disse no mês passado que a compra dos mísseis russos foi um acordo fechado e não pode ser cancelado. Ele disse que precisava comprar mais equipamentos de defesa, que poderiam ser com prados nos Estados Unidos.

error: Content is protected !!