Nova operadora de telecomunicações será conhecida em 2019

A quarta operadora global de telecomunicações (rede fixa, móvel e de televisão por subscrição), será conhecida no primeiro trimestre de 2019. A informação foi avançada ontem, em Luanda, pelo secretário de Estado das Telecomunicações, Manuel Homem

O responsável prestou esta informação quando falava à imprensa durante a apresentação do Fórum e Exposição Global de Tecnologia de Informação e da Comunicação (ANGOTIC 2019), a realizar-se de 18 a 20 de Junho. O processo relacionado ao concurso público, que dará entrada a mais uma operadora no mercado angolano, estará concluído em 2019 e a par deste estarão também concluídos e assegurados o processo de modernização das infra-estruturas da governação electrónica e o programa de banda larga.

Por outro lado, em 2019, vai se dar continuação ao processo de privatização da Angola Telecom, que para si, tanto o da Angola Telecom quanto o da quarta operadora ainda estão dentro dos parâmetros estabelecidos pelos referidos concursos públicos e o seu anúncio não deve passar do primeiro trimestre de 2019. Com a entrada em funcionamento desta nova operadora, o Estado angolano será accionista de 45 % capital. Os cadernos de encargos para os investidores interessados foram apresentados em 2017, com vista a proporcionar ao mercado mais uma para o aumento da concorrência e melhoria da qualidade do serviço, bem como dos preços.

Neste período também pode ser conhecida a empresa que ficará com os 45 porcento do capital social da empresa pública Angola Telecom, que actualmente se dedica apenas à rede fixa. Estas medidas inserem-se na reestruturação do sector das telecomunicações em Angola e para “dinamizar o mercado”. Deste modo, passam a existir apenas dois títulos para operadores, multi-serviço e global – este designado como título unificado e que permite prestar todo o tipo de comunicações, móveis e fixas. Móvel passa de dois para quatro operadores. A privatização parcial da Angola Telecom, em processo de reestruturação, permitirá garantir o investimento necessário à sua entrada, também, nas comunicações móveis.

O mesmo acontecerá com a quarta licença que ainda segue a última fase do concurso público, permitindo, além de telecomunicações móveis e fixas, dados e televisão por subscrição. Actualmente, o mercado das telecomunicações móveis possui três operadoras globais, nomeadamente Angola Telecom (pública), Unitel e Movicel (privadas). Desta forma, estas operadoras enfrentam a possibilidade de ter dois novos concorrentes no segmento das telecomunicações móveis. Angola tem actualmente 13 milhões de utilizadores de telemóvel, dos quais seis milhões usam a internet.

error: Content is protected !!