Um terceiro canadiano detido na China, diz media canadiana

Um terceiro cidadão canadiano foi detido na China, informou o jornal “National Post”, do Canadá, na Quarta-feira, citando o Ministério das Relações Exteriores canadiano

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse numa entrevista colectiva diária em Pequim que não estava ciente do relatório. Dois canadianos – o ex-diplomata Michael Kovrig e o empresário Michael Spavor – foram detidos depois que a Polícia canadiana prendeu a directora financeira da Huawei Technologies Co Ltd [HWT. UL], Meng Wanzhou, a 1 de Dezembro.

O escritório de Assuntos Globais do Canadá disse ao National Post que estavam cientes de uma detenção, mas não forneceram detalhes e não sugeriram uma conexão com a detenção de Meng. O jornal não identificou a terceira pessoa a ser detida, mas uma fonte que falou com a família do indivíduo disse ao jornal que o indivíduo não era um diplomata ou um empresário. A embaixada do Canadá em Pequim não respondeu imediatamente a um pedido enviado por e-mail para comentar o relatório. O Governo canadiano disse que também não há ligação explícita entre a prisão de Meng e as detenções de Kovrig e Spavor.

No entanto, diplomatas ocidentais baseados em Pequim e ex-diplomatas canadianos acreditam que as detenções são uma forma de represálias por parte da China, em resposta à prisão de Meng. Procuradores norte-americanos acusam Meng de enganar os bancos multinacionais sobre transacções com o Irão, colocando os bancos sob o risco de violar as sanções dos EUA. Meng, que é filha do fundador da Huawei, disse que é inocente e foi libertada sob fiança. A China tem repetidamente solicitado que o Canadá corrija o seu erro e liberte Meng ou enfrente consequências não especificadas. Kovrig e Spavor estão a ser investigados sob suspeita de pôr em risco a segurança do Estado chinês, disse o Governo chinês.

error: Content is protected !!