Governante apela mudança de consciência dos cidadãos

O governador do Namibe, Carlos da Rocha Cruz, apelou em Moçâmedes para a necessidade de transformar as consciências dos cidadãos baseadas no espírito patriótico, cultural, solidário e de unidade nacional

Carlos da Rocha Cruz, que discursava na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, disse que o país está a registar uma nova transição política , para tal, há toda a necessidade de se preservar os bens públicos, processo que passa pela mudança de comportamento dos cidadãos perante a sociedade, sobretudo dos jovens.

Salientou ainda que a nova transição política que o país vive necessita da participação e compreensão de todos de forma pacífica, pois ela trás consigo o programa da moralização da sociedade que engloba a Operação Resgate, o combate à criminalidade e a destruição dos bens públicos, assim como o reforço da autoridade do Estado.

Neste processo de transição política está em curso a estratégia de implementação do regime geral de delimitação, a desconcentração de competências, bem como a coordenação da actuação territorial da Administração do Estado constante no Decreto Presidencial nº 20/18 de 29 de Janeiro, cujo escopo principal é o reforço do poder local e a melhoria da qualidade dos serviços públicos, segundo ainda o governador no seu discurso.

“Esta medida política, com respaldo constitucional, visa descongestionar administrativamente o Governo central, promovendo o desenvolvimento territorial equilibrado, a melhoria da gestão dos recursos humanos, materiais e financeiros do país, disse. Considerou ainda que a transferência de competências dos governos províncias para as administrações municipais em Novembro último na província de Benguela, deu inicio à participação activa dos munícipes no desenvolvimento social e económico. Segundo ainda o governante, este processo organizativo e progressivo de reforço da desconcentração administrativa que o Executivo tem levado a cabo é a premissa fundamental para a descentralização administrativa do país e, consequentemente, a institucionalização das autarquias locais previstas para o ano de 2020.

Apontou ainda, no seu discurso, a actual crise financeira como sendo uma das condicionantes para não concretização de alguns programas de investimento público, principalmente os da melhoria da saúde pública, educação, fornecimento de energia eléctrica, distribuição de água,
saneamento básico, embelezamento das cidades, das vias secundárias e terciárias, obras públicas, entre outras acções.

Para o próximo ano, o governante apontou como prioridades a execução de programas ligados à educação, nomeadamente os treinamentos pedagógicos, a formação dos gestores escolares, ingresso de mais professores e a construção de novas instituições escolares.

“Perspectiva-se estender a rede domiciliar no bairro Boa Esperança, assim como acrescer 11 MW na central diesel do Tombwa, ano âmbito do programa do Ministério da Energia e Águas a fim de atender a indústria pesqueira, bem como o reforço do aumento da capacidade de distribuição de água nos bairros periféricos do município sede de Moçamedes”, sublinhou. De realçar que a cerimónia de cumprimentos de fim de ano contou com a presença de membros do Governo, deputados, autoridades militares, eclesiásticas, gestores públicos, empresários e convidados.

error: Content is protected !!