Manuel Fernandes garante uma nova CAsA-Ce em 2019

O vice-presidente da CAsA-Ce para a acção política, Manuel Fernandes, disse que 2018 foi um ano “muito difícil” para a sua força política, mas permitiu clarificar algumas convulsões que minavam a coesão interna

Em entrevista a OPAÍS, Manuel Fernandes disse tratar-se de um ano (2018) que vai ficar na história desta coligação política, na medida em que conseguiu dar volta à situação menos boa que viveu e apontou novos caminhos que devem ser trilhados.

Fazendo um balanço do que foi o desempenho desta que é a terceira força política na Assembleia Nacional, Fernandes disse ter sido um ano político” não muito positivo do ponto de vista da dinâmica funcional, mas também não muito negativo, na medida em que se conseguiu clarificar alguns conflitos”.

O político garantiu que se está a trabalhar neste momento na redinamização da CASA-CE e a adequá-la à última decisão do Tribunal Constitucional, de Junho deste ano. “Vamos agora fazer da CASA-CE uma força política onde se faça sentir o papel de todos os entes constituintes, concretamente todos os partidos políticos em pé de igualdade”, disse Manuel Fernandes. O Tribunal Constitucional emitiu um acórdão em que “esvaziou” as competências do presidente do Colégio Presidencial, que era liderado por Abel Chivukuvuku, passando para coordenador da mesma coligação, decisão mal acolhida.

Convulsões internas

Relativamente às convulsões internas, o político tranquilizou os militantes, simpatizantes e amigos, informando que esta coligação continuará na arena política e que não será absorvida. Assegurou que a CASA-CE é já uma força política com grande espaço conquistado na esfera política nacional e que vai continuar a existir, garantindo que não existem problemas entre os partidos que a constituem.

“Um ou outro quadro poderá decidir não continuar mais, mas este será um problema pessoal deste e não da CASA-CE, porque ela vai continuar. É verdade que isso belisca a credibilidade da organização, mas tudo estamos a fazer para recuperar a nossa imagem”, esclareceu.

Desafios Manuel Fernandes lançou um apelo aos membros desta organização para que olhem para os grandes desafios que têm pela frente, que passam pela preparação das eleições autárquicas e das eleições gerais de 2022.

“É por isso que estaremos em fase de colocar o homem certo no lugar certo. Anteriormente a filosofia da CASA-CE consistia em trabalhar olhando apenas para a imagem do presidente, hoje o contexto é diferente, já podemos contar com todos os quadros”, disse.

Referiu que o objectivo agora será potenciar os municípios que são os grandes mobilizadores e que poderão controlar a base militante. Avançou que a coligação tem agora uma nova filosofia de trabalho, que visa olhar para a continuidade da organização, que conta nesta empreitada com uma juventude dinâmica.

Ano legislativo Para o próximo ano legislativo, a fonte garantiu que o seu grupo parlamentar vai ser mais participativo no Pacote Legislativo Autárquico e contribuir de forma activa para que se encontrem os melhores entendimentos possíveis.

error: Content is protected !!