Sobe para 281 o número de mortos na Indonésia

Na Indonésia, as ondas que atingiram os três metros de altura apanharam o país desprevenido.

O último balanço dá conta de 281 mortos, 1000 feridos e 57 desaparecidos. Para já não há registo de estrangeiros entre as vítimas. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, prometeu reforçar o equipamento de identificação de tsunamis. “Pedi uma avaliação de todos os equipamentos de deteção de tsunamis e a substituição das máquinas que não funcionam. O orçamento de 2019 vai incluir a substituição dos equipamentos antigos ou com avarias, que já não podem ser usadas”. As autoridades confundiram o tsunami com alterações de maré e não houve um terramoto antes do maremoto. Duas situações que levaram a que não fosse emitido qualquer alerta.

O maremoto causado por uma erupção vulcânica atingiu as praias do Estreito de Sunda, entre as ilhas de Sumatra e Java, no sábado à noite. As autoridades indonésias confundiram inicialmente o tsunami com uma maré crescente e apelaram mesmo à população para não entrar em pânico. “O Ministro dos Assuntos Sociais e o chefe do Exército já estão no terreno. Já fiz um telefonema esta manhã a perguntar o número de vítimas e ainda não era muito alto, mas vai certamente aumentar”

A Agência Nacional de Gestão de Desastres já reconheceu e pediu desculpa pelo erro que cometeu e que terá contribuído para aumentar a dimensão da tragédia. As equipas de socorro procuram sobreviventes entre os escombros. Mais de 400 casas e nove hotéis ficaram destruídos. O pior tsunami na Indonésia aconteceu a 26 de Dezembro de 2004, no norte de Samatra, e provocou cerca de 230 mil mortes numa dezena de países banhados pelo Oceano Índico. 168 mil destas mortes aconteceram em território indonésio.

error: Content is protected !!