Cimeira de Brazzaville envia delegação para RDC

A SADC e a CIRGL decidiram enviar para a República Democrática do Congo (RDC), hoje (quinta-feira,27) uma delegação conjunta para informar o presidente Joseph Kabila Kabange das conclusões da minicimeira de Brazzaville, realizada esta quarta-feira. A delegação a ser despachada para Kinshasa será integrada pelos ministros dos Negócios Estrangeiros do Congo, em representação da CIRGL (Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos), e da Zâmbia, em representação da SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral).
O encontro de Brazzaville passou em revista a situação política e de segurança na região dos Grandes Lagos e da SADC, com foco no processo eleitoral em curso na RDC.
Neste contexto, a reunião denunciou “com firmeza” a violência no leste da RDC perpetrada por grupos armados contra populações civis e membros da Missão de Observação das Nações Unidas (Monusco), refere o seu comunicado final.
Nas suas conclusões, os chefes de Estado e de Governo dos dois blocos regionais presentes na conferência expressaram “sérias preocupações” face aos actos de violência que ocorreram durante a campanha eleitoral, em algumas localidades da RDC.
Eles consideraram que tais actos podem comprometer a serenidade das eleições, pelo que reafirmaram a importância da paz, da segurança e da estabilidade nas duas regiões.
Reiteraram ainda a necessidade do cumprimento dos diferentes compromissos assumidos no quadro do Pacto sobre a Segurança, Estabilidade e Desenvolvimento na Região dos Grandes Lagos e do Acordo-Quadro para a paz, segurança e desenvolvimento na RDC e na região.
Dos oito países presentes na reunião, na sua maioria fronteiriços com a RDC, cinco estiveram representados ao mais alto nível, incluindo Angola, ao passo que os demais fizeram-se representar a nível ministerial ou diplomático.
O anfitrião Congo, a Namíbia, a Zâmbia e o Botswana são os outros países que estiveram representados a nível de chefes de Estado.
Por seu turno, o Rwanda enviou o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Richard Sezibera, ao passo que a África do Sul mandou o seu embaixador na RDC, Abel Mxolishi Shilubane, e o Uganda, o seu encarregado de Negócios no Congo, com residência em Kinshasa.
Amba Abdou Abarry, embaixador da União Africana (UA) na RDC, esteve a representar o presidente da Comissão da UA, o diplomata tchadiano Moussa Faki Mahamat.
A convocação da minicimeira de Brazzaville foi uma iniciativa conjunta dos chefes de Estado e de Governo do Congo, Denis Sassou Nguesso, enquanto presidente em exercício da CIRGL, e do namibiano Hage Geingob, que actualmente preside a SADC.