agente do sic no cunene acusado de usar indevidamente viatura apreendida

desde o ano de 2017, o problema das viaturas apreendidas no âmbito do Decreto Presidencial nº 05/08 e 62/14, assinado pelo então Presidente da República, José Eduardo dos Santos, tem vindo a levantar controvérsia entre os importadores e as autoridades na província do Cunene

Por: João Katombela, na Huíla

Entre as várias reclamações levantadas pelos importadores e proprietários das mais de 300 viaturas apreendidas e retidas nos parques das distantes instituições públicas da província do Cunene, destacam-se a sabotagem e o desvio das mesmas.

Moniz Manuel, importador que tem mais de uma dezena de viaturas apreendidas na província do Cunene, acusa o agente do Serviço de Investigação Criminal (SIC), identificado como Germano, no município de Namacunde, de ter usado a sua viatura, até ao ponto de ocasionar um acidente com a mesma.

Segundo conta, o acidente resultou na danificação de um dos vidros e outros acessórios, e exige reparação dos danos causados e que justiça seja feita à dimensão do crime cometido pelo agente, que já assumiu ter andado com o carro sob ordens superiores.

“O meu carro foi usado por este senhor do SIC. Não percebo como é que foi possível usá-lo, já que o mesmo estava apreendido, espero que a PGR trabalhe no sentido de o mesmo ser responsabilizado”.

Usou o carro alegando ordens superiores

Por seu turno, o agente do SIC confirmou aO PAÍS ter usado a viatura, porém nega ter sofrido um acidente com a mesma, conforme acusa o proprietário. “Eu usei esta viatura mas não sofreu nenhum acidente. Ele veio intacto. Andei com ela por ordens superiores, não posso dar mais detalhes sobre o assunto”, justificou.

Entretanto, uma fonte da Procuradoria-Geral da Republica junto do Serviço de Investigação Criminal (SIC) naquela província, garantiu que a ser provado vai ser instaurado um processo-crime contra o agente. De acordo a mesma fonte, existem vários processos da mesma natureza, pelo que apela a todos os proprietários que virem os seus bens vandalizados a apresentarem queixas para a tramitação legal do processo. “Há já um agente que está sob inquérito.

Caso o seu envolvimento seja comprovado, a PGR vai abrir um processo-crime contra o mesmo, mas ainda assim, apelamos aos importadores que não deixem de nos contactar quando registarem acontecimentos do género, no sentido de responsabilizarmos os infractores”, apelou.

Os importadores e proprietários de algumas da viaturas vandalizadas e desviadas acusam os efectivos da Policia de Ordem Pública, do SIC, funcionários da Administração Geral Tributária(AGT), e da Procuradoria Geral da República(PGR) de estarem supostamente evolvidos na sabotagem e desvio das mesmas. Recentemente, o Presidente da República, João Lourenço, desencorajou a realização de quaisquer actos sob alegação de cumprir ordens superiores.

Segundo o mais alto mandatário da Nação, “ as ordens superiores têm rosto”. E este rosto que o empresário e antigo jornalista dos Jornal dos Desportos, Moniz Manuel, pretende ver, já que Germano não retirou a viatura por iniciativa própria.

error: Content is protected !!