Ano Novo, dia de “mbeta mbeta”

Por todo o mundo, a noite de passagem de ano é cheia de rituais e tradições. Em angola algumas se vão perdendo, mas há quem ainda as preserve, sobretudo nas áreas rurais. Nas cidades são as “modas” vindas de fora a comandar, sobretudo brasileiras e portuguesas, como o hábito do uso de uso de roupa branca.

Conheça agora o que as pessoas fazem para receber o novo ano em várias partes do mundo, seja por fé, para fazer algo social social ou até mesmo para se sentir bem. Em Angola, as tradições também variam de região para região, embora algumas se estejam a perder. Mas não se espante se os vizinhos lhe forem bater a porta amanhã bem cedo, cantando para cumprimentar.

O normal nestas ocasiões, é a pessoa a quem cantam aquilo que os portugueses chamam de janeiras e no planalto de Angola de “mbeta mbeta”, ter alguma coisa para oferecer aos visitantes. Aliás, se não o fizer, um refrão em umbundo pergunta, “se não tens nada para oferecer, porque é que construíste (ou constituíste) uma casa”? Portanto, tenha sempre alguma coisa reservada para oferecer, em troca terá um ano próspero.

Fogueira

Em muitos lugares ao redor do mundo, fogueiras são acesas para comemorar a chegada do Ano Novo. Celebrações relacionadas com incêndios e explosões, fogos de artifício são frequentemente indicadas para anunciar o Ano Novo. Nunca se esqueça de olha sempre para o céu e fazer um pedido da hora dos fogos de artifício!

Comer doze uvas

Em Espanha, é costume comer doze uvas à meia-noite, na véspera do Ano Novo. Cada uva representa um mês do ano que vem. A doçura de cada uva determina a natureza do mês – uvas doces representam bons meses, uvas verdes representam meses difíceis. Na sua mesa de frutas, nunca esqueça da uva. Além de gostosa, ela traz vários significados!
Champanhe

Em todo o mundo, parece que a bebida mais popular na véspera de Ano Novo é champagne. Por toda a Europa e na América a bebida é habitual, muitas vezes acompanhada por um brinde. Na Rússia, entretanto, uma bebida mista de vodka, sumo de limão e água da torneira é a mais pedida à meia-noite, chamada de “água suja”, consumida para afastar a má sorte. Por isso, na virada do ano, não se esqueça de uma boa garrafa de champanhe e, claro, brindar com seus familiares e amigos!

Lentilha

Segundo alguns historiadores, nesta época, os brasileiros, nem comemorávam a passagem do ano. Já entre os italianos, comem lentilha no réveillon, tornou-se um hábito quase sagrado. Existe até um ditado que diz o seguinte: “lentilha no ano novo, dinheiro o ano todo”. A lentilha já era um alimento popular na Suméria, antiga região da Mesopotâmia e na Roma Imperial.

O seu cultivo data de 6.000 anos. Apesar de rica em proteínas, fósforo, cálcio, ferro e fibras, ela não é muito consumida nem muito cultivada em Angola. Os maiores consumidores estão na Índia, Síria, Turquia, Espanha e Chile. Pela “óptica” de um bom gourmet – que até enlouquece quando se depara com uma lentilha do Puy, se ainda dizem que ela dá sorte.

Pão de Ano novo

Na Grécia, um pão especial chamado “Vasilopita” é servido à meianoite do Ano Novo. Uma moeda normalmente é assada dentro do pão. O pão é cortado precisamente à meia-noite e quem recebe a moeda, como prémio, terá boa sorte no ano que vem.

Troca de Presentes

Não é incomum a troca de presentes na véspera do Ano Novo. Em França, eles marcam a ocasião, chamada de “reveillon”, com uma festa de alimentos de luxo, como foie gras e champanhe, e às vezes presentes. Na Turquia, os presentes são trocados durante uma festa de comida tradicional turca.

Superstições

Nas Filipinas, jogar moedas à meia-noite é dito para incentivar a riqueza. No México, as várias tradições supersticiosas são observadas – inclusive pendurar bonecos em forma de ovelhas nas maçanetas, para a prosperidade.

O beijo

É muito comum as pessoas se beijarem à meia-noite do Ano Novo. Isso pode ser um gesto romântico, mas é também um sinal de saudação de Ano Novo, bem como uns aos outros, e desejando a pessoa que se está beijando um ano feliz, saudável e de sorte. Também pode significar que deseja ao seu parceiro um ano cheio de afecto e de boas relações com as pessoas.

Pular as 7 ondas

Esse costume remete às tradições africanas, levadas ao Brasil pelos escravos. O ritual homenageia Iemanjá, dona das águas salgadas. Sete é um número cabalístico, representado por Exu, filho de Iemanjá. Os sete pulos (saltinhos) servem para que os caminhos sejam abertos. Segundo a tradição, na certeza de garantir a futura sorte, jamais dê as costas para o mar após a homenagem.

Selecionar a cor das roupas Prosperidade, riqueza, amor, paixão, felicidade, saúde, harmonia, esperança e paz. Amarelo, dourado, vermelho, rosa, laranja, verde, azul ou branco. Não importa a cor, cada uma delas traz um significado. Nas Filipinas, vestem roupas com círculos, como bolinhas. Na Venezuela, as pessoas procuram o amor no Ano Novo usando calcinha vermelha. No Equador, cueca amarela é dito para trazer positividade para o Ano Novo.

error: Content is protected !!