Igreja adia para quinta-feira relatório preliminar sobre eleições na RDCongo

A Conferência Episcopal Nacional do Congo (Cenco) adiou para quinta-feira a publicação do seu relatório preliminar de observação das eleições de domingo devido ao corte de internet decretado pelas autoridades, foi hoje anunciado.

A apresentação do relatório preliminar da missão de observação eleitoral da Cenco, que incluía 40 mil observadores, foi “adiado para quinta-feira”, segundo o secretário-geral e porta-voz da organização, Donatien Nshole, citado pela agência de notícias France Presse.
“Com o corte da internet, precisamos de mais tempo para que o trabalho seja feito por telefone”, explicou.
O serviço de internet foi cortado pelas autoridades congolesas, na segunda-feira, oficialmente para evitar “um levantamento popular”, numa altura crucial da centralização dos resultados das eleições presidenciais, legislativas e provinciais de domingo.
Os países ocidentais apelaram, na terça-feira, para o restabelecimento do acesso à internet.
Os resultados provisórios do escrutínio serão divulgados “o mais tardar no domingo, 6 de janeiro”, segundo a comissão eleitoral nacional (CENI).
Na segunda-feira, a missão de observação eleitoral da Cenco, única missão de observação nacional acreditada, tinha dado conta de anomalias no processo de contagem dos votos, numa eleição que ficou marcada por vários incidentes violentos, que causaram, pelo menos, quatro mortos.
Mais de 39 milhões de congoleses foram chamados às urnas no domingo para escolher o sucessor do presidente Joseph Kabila, obrigado pela Constituição e pela opinião pública a não se recandidatar, e também os deputados nacionais e provinciais de 75.781 colégios eleitorais.
O delfim de Kabila, Emmanuel Ramazani Shadary, foi um dos candidatos, a par com dois opositores, Félix Tshisekedi e Martin Fayulu.
O novo presidente deverá assumir o cargo a 18 de janeiro.