China não descarta uso de força em caso de interferência externa na questão de Taiwan

A China não promete descartar o uso de força e reserva a opção de usar todas as medidas necessárias contra as forças externas e actividades separatistas em Taiwan, declarou o líder chinês Xi Jinping nesta Quarta-feira (2)

Discursando por ocasião do 40º aniversário da Mensagem aos Compatriotas de Taiwan, Xi Jinping assegurou que “os chineses não lutam contra chineses” e que a China está pronta para lutar com todas as forças pelas perspectivas de uma reunificação pacífica, através do caminho mais favorável para todos os compatriotas de ambos os lados do estreito de Taiwan e para toda a nação.

“Não prometemos descartar o uso da força militar e nos reservamos o direito de tomar todas as medidas necessárias dirigidas contra a interferência externa e o pequeno número de separatistas e movimentos separatistas que se manifestam a favor da ‘independência de Taiwan’”, destacou Xi Jinping, sublinhando que tais medidas não são destinadas contra os compatriotas de Taiwan.

Falando sobre a reunificação da China, Xi Jinping disse que isso não pode prejudicar os interesses legítimos de outros países, incluindo os interesses económicos legítimos de Taiwan, e pode apenas criar ainda mais novas oportunidades para o desenvolvimento e estabilidade da região.

“O andamento do desenvolvimento das relações entre ambos os lados do estreito de Taiwan prova que Taiwan faz parte da China, que estas partes são ligadas pelos mesmos factos históricos e jurídicos, ninguém tem força para mudar isso”, frisou o líder chinês. Xi Jinping disse também que a reunificação da China é uma tendência histórica e o caminho certo, enquanto a “independência de Taiwan” contradiz a história e leva a um beco sem saída.

O líder chinês expressou a prontidão para criar amplas possibilidades para uma reunificação pacífica. Taiwan e a China têm sido governados separadamente desde a Guerra Civil Chinesa nos anos 40.

error: Content is protected !!