Jovem morto por amigos na noite de fim-de-ano no Lubango

O balanço do Comando Provincial da Polícia Nacional na Huíla aponta para uma passagem de ano relativamente calma, com o registo de oito crimes de natureza diversa, embora a família Cambissa tenha perdido um ente

Por: João Katombela, na Huíla

Mauro Cambissa, de 29 anos de idade, foi atingido mortalmente por dois disparos de arma de fogo, na região do tórax, no bairro da Maxiqueira, arredores da cidade do Lubango, provincial da Huíla, na noite do dia 31 de Dezembro, altura em que se esperava pelo ano novo.

De acordo com o relato dos familiares, tudo começou durante os festejos de fim-de-ano, quando dois amigos da vítima, que por acaso passaram juntos a infância, convidaram-lhe para o convívio. Um dos amigos, o que supostamente terá alvejado Mauro Cambissa, é Tenente das Forças Armadas Angolanas, colocado numa das unidades militares da província de Cabinda, segundo João Breque, cunhado da vítima.

O oficial das FAA efetuou dois disparos ao ar sem razão plausível na noite do dia 31 de Dezembro. “Ele estava em casa com a sua família e os dois amigos apareceram em casa, ficaram aqui a conviver e o amigo dele, que é tenente, esteve aqui e depois dos abraços de fim-de-ano, fez dois disparos no ar”, contou.

A vítima não previa o perigo que corria na companhia dos dois amigos de infância que desde as 17 horas do dia anterior ao do ano novo carregava consigo uma arma de fogo do tipo pistola.De acordo com o cunhado da vítima, que deixa uma filha de 3 anos de idade e uma viúva gestante, a notícia da sua morte foi transmitida por uma das irmãs que recebeu um telefonema da Polícia.

A meio de tanta dor pela perda do jovem de 29 anos de idade, professor de carreira e estudante universitário, os familiares pedem que se faça justiça na dimensão do crime praticado. Por outro lado, os parentes da vítima apontam o dedo acusador para o tenente das FAA Valério Lucamba e o seu primo Nataniel Lucamba, por terem sido os autores da morte do seu ente querido, pelo facto de eles o terem tirado de casa a pretexto de que fossem conviver.

“Segundo as testemunhas, o tenente fez os dois tiros na região do tórax e depois de verem que estava morto deixaram o corpo estendido no chão. O acusado está detido”, explicou, João Breque. Entretanto, uma fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC) confirmou a detenção dos dois primos, ambos efectivos às FAA, tendo dito que os mesmos encontram-se na cadeia do Edifício A, na cidade do Lubango.

Entre os oito crimes registados durante as 24 horas do dia 31 de Dezembro, a Polícia Nacional destaca uma violação sexual, roubo, furto, posse e tráfico de canábis e ainda ofensas corporais.

error: Content is protected !!