Passagem de ano marcada com feridos em Kicabo

O exagerado consumo de bebidas alcoólicas, principalmente por parte de jovens da sede comunal, berina, Lifune e arredores, esteve na base dos conflitos entre si, tendo resultado em graves ferimentos nos implicados, que deram entrada na unidade sanitária local

O responsável do centro médico da comuna de Kicabo, município do Dande, em Caxito, província do Bengo, Joselino Fernando, informou a OPAÍS que a unidade hospitalar local que dirige registou a entrada de muitos pacientes com ferimentos durante o período de transição de 2018 para 2019, maioritariamente fruto de agressões físicas.

“Em todas as ocorrências estiveram envolvidos jovens entre os 18 e 28 anos de idade que, depois de se encontrarem embriagados, partiram para brigas e outros tipos de afronta, ao ponto de se terem agredido preferencialmente com partes de garrafas quebradas”, contou o enfermeiro, para quem se tornaram difíceis os primeiros socorros.

A dificuldade deveu-se ao facto de a maior parte das vítimas ter aparecido no centro médico ainda em estado de embriaguez, o que obrigou a equipa aí destacada estancar a hemorragia e suturá- los a sangue frio, pois, de acordo com o técnico de saúde, não lhes podiam anestesiar por terem tido uma quantidade de álcool considerável no sangue.

Segundo o administrador do centro médico, a maior parte dos casos vieram mesmo da sede comunal, sendo que os outros aconteceram mais nas localidades de Berina, Lifune e seus arredores. Joselino Fenando revelou que ele e os seus colegas conseguiram atender os pacientes graças a uma pronta logística medicamentosa que deu entrada nesse estabelecimento hospitalar no dia 12 de Dezembro de 2018, da qual constavam, além de fármacos para acudir casos de paludismo, febre tifoide e outras endemias, materiais gastáveis como algodão, ligaduras, gases, bem como álcool, mercúrio e Betadine.

“Devemos sublinhar que, além da pronta intervenção e os consequentes curativos, ainda nos coube o dever de orientar os feridos a continuarem com a medicação em Via principal para a sede de kicabo Centro médico de saúde da comuna casa, à base de amoxaciclina e ampicilina”, detalhou o enfermeiro.

O entrevistado informou que os índices do género apresentados pelos pacientes que acorreram ao hospital nos dias 24 e 25 de Dezembro já lhes deu indicativos de que não haviam de ter uma passagem de ano tranquila.

Adiantou, igualmente, que, desde que o centro médico existe em Kicabo, é a primeira vez que se regista tanta correria para se acudirem pessoas com ferimentos resultantes de brigas, apelando, por isso, que as entidades sociais e administrativas da comuna levem a cabo um programa de sensibilização e mobilização, no sentido de se acautelarem situações do género no futuro.

Reabastecimento requerido

Embora reconheça a eficiência da Direcção Municipal da Saúde do Dande em garantir a logística do centro médico com remédios, Joselino Fernando considerou ser já tempo para reabastecer o depósito do hospital, visto que a instituição está a receber muitos casos de malária que carecem de assistência medicamentosa urgente.

“o reabastecimento foi prometido para a primeira semana de Janeiro, razão pela qual estamos preocupados, pois os últimos quites estão a ser distribuídos aos pacientes e a ruptura do estoque pode acontecer a qualquer momento.

Durante a quadra festiva, os registos da maternidade não ficaram aquém, foram realizados 20 partos, um dos quais aconteceu no primeiro dia do ano. a cifra agrada à direcção do centro médico, por não terem registado nenhuma complicação nos serviços, comparando com empreitadas em anos anteriores.

error: Content is protected !!