Governo prioriza Luanda nas eleições autárquicas

novos membros do Governo tomaram posse ontem, em Luanda. A cerimónia, orientada pelo Presidente João Lourenço, ficou marcada com recados, recomendações e promessas feitas pelos dirigentes

O Presidente da República, João Lourenço, defende maior preparação de todas as provinciais face ao processo das eleições autárquicas que o país pretende realizar no próximo ano. Sem desprimor para as demais províncias, o Chefe do Executivo sublinhou que a prioridade em termos de atenção recairá para a cidade de Luanda, pelo facto de ser a capital do país e aglutinar quase um terço da população angolana.

João Lourenço falava na cerimónia de posse das novas ministras das Pescas e do Mar e da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, de um secretário de Estado da Agriculta e Florestas e dos recémnomeados governadores das províncias de Luanda, Cuanza-Norte e Cuanza-Sul, tendo encorajado o novo governador de Luanda, Luther Rescova, a não temer o desafio de governar a maior cidade de Angola. “Não tenha medo de enfrentar este grande desafio nos estamos aqui para poder ajudá-lo”, disse o Presidente Lourenço ao novo inquilino da cidade capital.

Mais polos para aumentar captura do pescado

Para a nova ministra das Pescas e do Mar, Maria Antonieta Josefina Sabina Baptista, o Presidente João Lourenço pediu para adoptar políticas de concessão de licenças de modo a atrair o investimento privado e estrangeiro nas diferentes áreas, com destaque para as infraestruturas e de processamento do pescado.

Neste domínio, o Titular do Poder Executivo apontou dois importantes polos de desenvolvimento pesqueiro, designadamente o do Tombwa e o da Baia Farta, que deverão ser estendidos para outras províncias da costa litoral marítima com o objectivo de reduzir os índices de pobreza e fome no país.

“É preciso que repliquemos o que se vem fazendo nos polos citados a outras localidades como, por exemplo, Luanda, Soyo, Ambriz e Cabinda”, reconheceu.

Em relação a uma outra área que se apresenta como fundamental para o processo de diversificação económica, João Lourenço, referiu-se, como marco no ano passado, ao aumento da quota para agricultura no OGE, que se viu quintuplicada para ser empregue no incremento da agricultura familiar.

O Chefe de Estado espera que a agricultura e as pescas sejam os maiores empregadores e contribuam para a redução da fome e pobreza. “Esperamos que o novo secretário de Estado ajude o ministro a colocar a agricultura familiar no lugar que merece”, referiu.

Sociedade e valores morais

A sociedade apelou por maior engajamento na luta pelo resgate dos valores morais, apesar da responsabilidade ao nível do Executivo caber ao Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

Na cerimónia foram empossados o secretário de Estado da Agricultura e Pecuária, José Carlos Lopes da Silva Bettencourt, as ministras das Pescas e do Mar, Maria Antonieta Josefina Sabina Baptista e da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Fernandes Inglês de Almeida Alves. Tomaram posse os governadores de Luanda, Sérgio Luther Rescova Joaquim, do Cuanza-Norte, Adriano Mendes de Carvalho, e do Cuanza Sul, Job Pedro Castelo Capapinha.

Novos membros do Conselho da República prometem dedicação

Conselho da Republica conta com três novos integrantes empossados, nesta Sextafeira, pelo Titular do Poder Executivo, que, na ocasião, disse esperar por uma maior representatividade no seu órgão de consulta. Dentre os empossados destaca-se a vicepresidente do MPLA, Luísa Pedro Francisco Damião, por designação, o empresário José Carlos Manuel de Oliveira Cunha e a líder religiosa Suzeth Francisco João.

De acordo com a praxe, os empossados juraram desempenhar com zelo e dedicação o cargo de membro do Conselho da República, respeitar os princípios fundamentais da ordem estabelecida na Constituição e dedicar todo o saber e emprenho à promoção da defesa da unidade nacional, da paz, da democracia e do progresso social do povo angolano.

João Lourenço espera receber do Conselho da República sugestões necessárias para ultrapassar “situações difíceis” que o país, “infelizmente”, ainda vai ter de enfrentar.

O Conselho da República é um órgão de consulta do Presidente da República e dele fazem parte o vice-presidente da República, o presidente da Assembleia Nacional, presidente do Tribunal Constitucional, o procurador-geral da República, líderes de partidos políticos com assento parlamentar e entidades convidadas.

error: Content is protected !!