ASCOFA realiza assembleia-geral para eleger novo presidente

A assembleia realizar-se-á numa altura em que o demitido António Fernando Samora continua a intitular-se como sendo o presidente da ASCOFA

A Associação de Apoio aos Combatentes das Ex-FAPLA(ASCOFA) realiza a 19 deste mês, em Luanda, uma assembleiageral extraordinária para eleger o novo presidente, em substituição de António Fernando (Samora), afastado do cargo por suposto desvio de fundos, durante 17 anos. Para o seu lugar, concorrem Novais Cauete Ambriz, e Caetano Marcolino, sendo estes os primeiros que publicamente manifestaram o interesse de ocupar a vaga de Samora, segundo fonte da organização.

A mesma avançou que as candidaturas continuam abertas e admite que até ao dia da realização da assembleia poderá haver mais concorrentes, incluindo mulheres.

A assembleia realizar-se-á numa altura em que Fernando Samora continua a intitular-se como sendo o presidente da ASCOFA, e dias depois da sua demissão pelos sócios realizou um outro acto que o reconduziu para mais um mandato de cinco anos.

Causas de demissão

Durante o acto de demissão, protagonizado pela assembleia-geral da ASCOFA, contra António Samora pendiam acusações de apropriação de bens provenientes do Instituto de Reintegração Social dos Ex-militares (IRSEM) para apoiar os mesmos e suas respectivas famílias.

É também acusado de falsificar documentos e de dados estatísticos dos membros que integram a referida colectividade, e ainda a não apresentação de relatórios de prestação de contas referentes aos pagamentos das quotas desde a criação da ASCOFA.

Os sócios acusaram-no, também, de falsificar contas desta associação e de apropriação da dotação orçamental proveniente do Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria (MACVP) destinados aos pagamentos de subsídios dos ex-militares.

Foi ainda incriminado de suposto desvio de sete viaturas para apoiar os seus associados, atribuição de residências às pessoas próximas a si em projecto habitacional disposto aos membros.

Constam ainda acusações de ter desviado seis toneladas de produtos alimentícios diversos, atribuídos trimestralmente pela base logística das Forças Armadas Angolanas, 80 milhões de kwanzas que serviriam para compra de kits agrícolas e industriais, bem como de ostentação indevida da patente de brigadeiro.

Sobre esta matéria, dados da Direcção Principal de Pessoal de Quadros(DPPQ) das Forças Armadas Angolanos atestam que António Fernando é capitão com o número de identificação pessoal 89403920 ordem 817/2011. A ASCOFA, fundada a 1 de Agosto de 2001, conta actualmente com 86 mil associados, segundo dados apurados por este jornal.

error: Content is protected !!