Seis tripulantes sequestrados por piratas no Benin são de nacionalidade russa

A Embaixada da rússia no Benin confirmou oficialmente que seis cidadãos russos foram capturados por piratas perto da costa da África Ocidental

As informações foram divulgadas pela missão diplomática russa no Benin através da sua página no Facebook. “Os atacantes tomaram como reféns seis pessoas, inclusive o capitão do navio, e desapareceram”, diz o comunicado.

Mais cedo, a mídia relatou que o navio MSC Mandy, com 23 russos e um ucraniano a bordo, foi atacado por piratas perto da costa do Benin. Segundo a Agência Federal de Transporte Marítimo e Fluvial da Rússia, o ataque ocorreu a 2 de Janeiro no Golfo da Guiné.

As agências consulares russas na Nigéria e no Benin estão a trabalhar para obter a libertação dos seis russos sequestrados pelos piratas. As outras 18 pessoas ficaram ilesas.

Libertação de marinheiros sequestrados

Segundo opina o especialista em Direito do Mar, Mikhail Voitenko, o sequestro não representa nada de novo nessa região, visto que é um “negócio”, provavelmente organizado por piratas nigerianos.

No entanto, ele acredita que será possível libertar os marinheiros dentro de duas ou três semanas. “Normalmente [os piratas] tomam como reféns [marinheiros] de pequenas ou médias empresas armadoras.

Quando se trata de uma companhia transnacional tão grande, é importante que o transportador seja activo e realize as negociações de modo diplomático. Nesse caso, seria possível libertar os marinheiros em duas ou três semanas”, explicou o especialista.

error: Content is protected !!