A Turquia não deve atacar os curdos após a retirada da Síria dos EUA – assessor de segurança nacional dos EUA

O assessor de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, acrescentou uma nova condição no Domingo à retirada dos EUA da Síria, dizendo que a Turquia deve concordar em proteger os aliados curdos dos Estados Unidos.

A decisão abrupta do presidente Donald Trump de anunciar uma retirada dos EUA da Síria deixou muitas questões em aberto, principalmente se os combatentes curdos que operam no norte da Síria fossem agora alvo do seu inimigo de longa data, a Turquia. Bolton, numa viagem de quatro dias a Israel e à Turquia, disse que enfatizaria, em conversas com as autoridades turcas, incluindo o presidente Tayyip Erdogan, que os curdos devem ser salvaguardados.

“Não achamos que os turcos devam empreender uma acção militar que não seja totalmente coordenada e aceite pelos Estados Unidos, no mínimo, para que eles não ponham em perigo as nossas tropas, mas também para que eles cumpram a exigência do presidente de que a oposição síria às forças que lutaram connosco não estão ameaçadas ”, disse Bolton a repórteres antes das negociações com as autoridades israelitas.

Bolton viajará à Turquia na Segunda- feira e disse que os Estados Unidos vão conversar com a Turquia para descobrir quais são os seus objectivos e capacidades. Mas Bolton disse que a posição de Trump defende que a Turquia não pode matar os curdos e que a retirada dos EUA não acontecerá sem um acordo sobre isso.

error: Content is protected !!