Governação e fofocas

Quase dá para rir, não sei se isso acontece noutras partes do mundo, mas, se acontece, imagino que por cá se ultrapassou todos os limites. Nesta semana, os novos governadores provinciais, ao tomarem posse ou no momento em que foram apresentados, fizeram questão de alertar os seus colaboradores e “mandados” para a questão da fofoca. Então, isto quer dizer que pelos lados do poder em Angola quem mais ordena são a intriga e a fofoca. Parece brincadeira, mas é chocante, para o cidadão comum, saber que o poder que deve respeitar, afinal, está cheio de fofoqueiros, ou no seu centro, ou nas redondezas. Pior será imaginar que os detentores do poder, os governadores, percam tempo deixando-se embalar por intrigas e fofocas. E, o mais grave de tudo, que algumas decisões possam ser tomadas com base em fofocas e em intrigas. Meu Deus! Mas foi bom o alerta, melhor será terem os ouvidos moucos a partir de agora, mas não para as necessidades do povo, apenas para os interesses que espreitam sempre e que são capazes, sim, de levar fel aos ouvidos de quem manda. Senhores dirigentes, não se deixem emprenhar pelos ouvidos, como diz o povo. É bom saber que estão atentos, mas é triste saber que reina este ambiente nas altas esferas.