EUA advertem aqueles que desejam usar a violência

Os estados Unidos tomaram nota do anúncio feito pela Comissão Eleitoral Nacional Independente dos resultados provisórios das eleições de 30 de Dezembro na República Democrática do Congo (RDC) e sublinha a determinação do povo congolês e saudar particularmente “os milhões de corajosos eleitores que foram às urnas na RDC para votar após dois anos de atraso “.

Os Estados Unidos também enfatizam “a importância da decisão do presidente Joseph Kabila” de respeitar os limites do seu mandato prescrito pela Constituição e transferir poderes a um sucessor. Além disso, os EUA insistem nos riscos da violência pós-eleitoral. Pelo menos 80 tropas dos EUA estão instaladas em Libreville, no Gabão, em caso de agitação na RDC, à margem das eleições. “Pedimos a todas as partes interessadas que permaneçam calmas durante todo o processo.

A violência é inaceitável e o governo dos EUA alertam os que perpetraram actos de violência relacionados com as eleições ou impedirem o processo democrático “, disse Robert Palladino, vice-porta- voz do Departamento de Estado dos EUA. Ele havia especificado, alguns dias antes, a natureza das medidas que podem ser tomadas.

“Aqueles que estão a minar o processo democrático, ameaçam a paz, a segurança ou a estabilidade na RDC ou se beneficiam da corrupção podem não ser bem-vindos aos Estados Unidos e serão cortados do sistema financeiro dos EUA”, disse ele.

error: Content is protected !!