Banco mundial prevê crescimento económico

a economia angolana deverá crescer 2,9% em 2019, segundo estimativas do Banco mundial

As estimativas representam uma recuperação face à contracção de 1,8% em 2018, e deverá ser suportada por novas produções no sector petrolífero e melhoria do ambiente de negócios, com efeitos na manutenção e criação de novos postos de trabalho.

Contas externas

O saldo da conta corrente apresentou melhoria para 2% do PIB em 2018. O indicador representa um incremento de 2,4 p.p., face a 2017, segundo dados do FMI, e poderá reflectir melhoria no preço do petróleo e a atenuação das importações, facto que poderá se reflectir no crescimento da economia.

Finanças Públicas

O Governo deverá perdoar 38% do total de dívida com juros e multas, de factos ocorridos até Dezembro de 2017. O perdão enquadra-se no novo regime de regulação das dívidas aduaneiras, e deverá tornar o sistema mais flexível, e garantir uma maior captação de receitas para os cofres do Estado.

Mercado Monetário Interbancário

O montante disponibilizado em Operações de Facilidade de Cedência de Liquidez em 2018 fixouse em 3.449,33 mil milhões AOA. O montante representa uma redução de 10% face a 2017, reflexo da política monetária restritiva do BNA, no período em referência, com impactos nas taxas de juros no (MMI). A taxa de juro Luibor Overnight encerrou o ano de 2018 em 16,75%, abaixo dos 17,77% do ano anterior.

A redução da taxa poderá reflectir a moderação da política monetária restritiva adoptada pelo BNA, não obstante manter-se acima da taxa básica em 25 p.b., com efeitos na disponibilização de crédito à economia.

Espaço internacional economia mundial

A economia mundial deverá desacelerar em 0,1 p.p., em 2019. O Banco Mundial estima para 2019 uma taxa de crescimento de 2,9%, uma desaceleração de 0,1 p.p., face a 2018, e poderá reflectir a intensificação das guerras comerciais, o agravamento das condições de financiamento e da produção industrial, com possíveis impactos sobre a cotação do crude e as exportações de Angola.

Zona euro

A taxa de desemprego apurada em Novembro caiu 0,1 p.p. em termos
mensais. O nível de desemprego situou-se em 7,9%, a menor taxa apurada desde Outubro de 2008, a reflectir um aumento na oferta de trabalho, o que poderá incrementar o poder de compra das famílias e o consumo mundial.

Alemanha

A produção industrial contraiu 1,9% em Novembro de 2018. O desempenho do indicador reflecte uma desaceleração de 1,1 p.p. face ao registo do mês anterior, e poderá representar a incerteza em relação à tensão comercial com os EUA, com efeitos no crescimento económico da Alemanha e nas importações de Angola.

África do Sul

A produção manufactureira aumentou 0,7% em Novembro. O desempenho da produção representa uma redução de 0,4 p.p. em relação ao mês anterior, que resulta da diminuição da produção de minérios, fundamentalmente, com impactos no crescimento sul-africano e nas importações de Angola.