Edebrande Gunza prepara obra poética sobre os aspectos culturais e económicos do Cuanza-Norte

A obra será composta por cerca de 80 poemas, que abordam aspectos históricos culturais e económicos da província, como a Feira de Artesanato do Dondo, Barragem de Cambambe e o Centro Botânico do Kilombo

O  poeta e historiador Edebrande Gunza, residente no Dondo, pretende lançar no ano em curso a sua primeira obra poética intitulada “Colectânea de indolente”. Esta obra poética é composta por cerca de 80 poemas que abordam aspectos históricos, culturais do Dondo, município de Cambambe, bem como as questões económicos e sociais da província.

Edebrande Gunza explicou a este jornal que um dos aspectos culturais e económicos que constarão no livro está relacionado com a Feira de Artesanato do Dondo, a qual, segundo ele, foi desenvolvida por influência do Rio Kwanza. “É uma feira criada em 1625 e foi oficializada pelo Governador na altura, João Correira de Sousa. Hoje é uma marca no nosso país.

O Corredor do Kwanza deu um contributo para o alavancar deste evento e da própria região e deve ser motivo de orgulho para os angolanos,” considerou. Poemas relacionados com a Barragem de Cambambe e o Centro Botânico do Kilombo também farão parte desta obra, que o artista considera como elemento contribuinte para o desenvolvimento da província.

O poeta, que muito almeja ver a obra editada, solicita apoio para a devida publicação. “Já contactei a Editora Casa das Ideias em Luanda, mas por falta de apoios financeiros não tivemos êxitos.

Apelo aos empresários para que apoiem este trabalho, que será benéfico para o país, e poderá servir de estudo para as gerações vindouras”, apelou.
ambições Edibrand Gunza, além da presente obra poética, pretende ainda publicar romances e livros de contos históricos.

“Além de historiador dedicome à literatura, de modo a ajudar a engrandecer a cultura no meu município. Formei-me nesta área, mas ao longo da formação surgiu esta paixão”, avançou.

O poeta almeja ser uma das referências no mundo da literatura ao nível da província e incentivou os jovens no município a contribuírem no engrandecimento da Cultura, de modo a tornála mais actrativa.

O artista

Edebrande André Joaquim Gunza, de nome artístico “mwene Ngunza”, nasceu em 1987, natural de Kambambe-Dondo provincia do cuanza-Norte. . Formando pela Faculdade de ciências socias da Universidade Agostinho Neto, no curso de História (2014 a 2017).

Ao longo dos 4 anos de formação começou a escrever textos dobre vários assuntos da vida social, como poesias, prosas, histórias do dia-a-dia. Este ano pretende concluir o trabalho de fim de curso, com o tema: O comércio do Dondo (1850 a 1900) causas e consequências.

error: Content is protected !!