Perseverança: Xutos & Pontapés: há 40 anos a dar no duro

A banda Xutos & Pontapés completou ontem, Domingo, 40 anos de existência, e prepara o lançamento do novo álbum, “Duro”, ainda este mês

A data de aniversário serve para assinalar o nascimento oficial dos Xutos & Pontapés, que aconteceu a 13 de Janeiro de 1979 no salão de baile dos Alunos de Apolo, em Lisboa, numa noite em que tocaram quatro músicas em pouco mais de cinco minutos.

Na altura, o grupo, que chegou a chamar-se Delirium Tremens e depois Beijinhos e Parabéns, integrava os jovens Zé Pedro, Kalú, Tim e Zé Leonel, influenciados pelo punk-rock que entrava em força na cena musical estrangeira.

Quarenta anos depois, o grupo persiste na música portuguesa – já sem Zé Pedro e sem Zé Leonel -, com mais de uma dezena de álbuns e muitas canções que servem de âncora para um clã do rock com milhares de fãs de várias gerações. Na página de Facebok, o grupo deixou um agradecimento a todos os fãs que os acompanham: Para festejar a data redonda, os Xutos & Pontapés editam um novo álbum, Duro, que sairá no dia 25, coincidindo com um concerto no espaço Lisboa ao Vivo.

A 1 de Fevereiro apresentam-no no Hard Club, no Porto. Este é também o primeiro álbum que Kalú, Tim, João Cabeleira e Gui editam sem o guitarrista Zé Pedro, que morreu em 2017, mas o registo incluirá gravações feitas ainda por este músico, algo que tinham anunciado há precisamente um ano.

Musicalmente, Duro deverá ser de rock mais pesado, como resposta ao registo anterior, Puro, de 2014, como contou o baixista e vocalista Tim e o guitarrista João Cabeleira em 2018 à agência Lusa. Aos fãs, a banda explica que o álbum Duro é “um legado de perseverança e persistência, de luto e de alegria, de ansiedade e calma”. Do novo disco já é conhecido o tema “Mar de Outono”. Fonte: Diário de Notícias

error: Content is protected !!