Luanda “sem” comboios nos carris

Os trabalhadores dos Caminhos- de-Ferro de Luanda (CFL) iniciaram ontem uma greve por tempo indeterminado para reivindicarem, entre outros aspectos, aumento salarial e melhores condições laborais.

Com essa acção, estão suspensas as viagens Luanda/ Malanje, Luanda/Ndalatando, Luanda/Dondo e Bungo/Baia, causando diariamente prejuízos ao Estado na ordem de um milhão e 500 mil Kwanzas de receitas, segundo Augusto Osório, porta-voz da empresa.

Para além do aumento salarial na ordem de 80 por cento, os grevistas exigem subsídio de alimentação, transporte e de instalação, entre outros num caderno reivindicativo de 21 pontos. Enquanto durar a greve, a direcção do CFL gizou um plano que visa assegurar que sejam prestados os serviços mínimos, com a circulação de um comboio de manhã, no sentido Viana/ Bungo, e outro às 16 horas, na direcção inversa, podendo transportar pouco mais de 200 pessoas por viagem.

Segundo o secretário para os assuntos jurídicos do Sindicato dos Trabalhadores do CFL, Ditoloca Kinkela, não se chegou a nenhum consenso com a entidade empregadora, nos dois dias de conversação, o que levou os mais de 900 trabalhadores a não recuarem na decisão de fazer greve.

error: Content is protected !!