Novo inquérito do INE revela que foram licenciados 1547 edifícios

O documento foi apresentado pela primeira vez, ontem, em Luanda, e contém informações mensais sobre o Inquérito às Licenças Aprovadas para a Construção de Edifícios (ILACE) para o ano de 2017. O inquérito de âmbito nacional e de natureza económica e financeira revela que foram licenciadas 1547 obras

O Instituto Nacional de Estatística (INE) acaba de lançar mais um serviço que, para a instituição, constitui a fonte de informação para compilação das Contas Nacionais e Ficheiros de base para o Inquérito Trimestral de Avanço e Acompanhamento aos Edifícios no Processo de Construção (ITAEPC).

Adão Fernandes, técnico de estatísticas económicas do INE, que fez a apresentação dos dados, avança que a recolha de informação será mensal e a periodicidade da publicação será trimestral. “Publicação da FIR de 2017-2018 será feita uma única vez, reportando o respectivo por ano. A partir deste ano de 2019, indica o INE, passa a ser publicado com periodicidade trimestral, mas no trimestre do ano seguinte será compilada uma FIR anual, tal como outros indicadores anuais. “Nesta edição, a primazia vai para a divulgação da informação estatística sobre o número de licenças emitidas e aprovadas mensalmente para a construção de edifícios no sector privado em cada província e o respectivo destino”, explica.

Acrescenta que o referido documento aprova o Regulamento de Licenças de Operações de Loteamento, Obras de Urbanização e Obras de Construção. O Inquérito às Licenças Aprovadas para Construção de Edifícios (ILACE) têm por objectivo conhecer o potencial da actividade edificadora do país. Qualificar o número de licenças emitidas, de obras de construção e o valor das edificações licenciadas, construir um ficheiro das obras licenciadas por províncias e municípios.

Por dentro do Inquérito

Os dados do ILACE indicam que o número de licenças aprovadas para construção de edifícios no país em 2017 foi 1547, destacando-se Luanda com 139, seguindo-se Cabinda com 227, Zaire com 149, e Benguela com 126, correspondendo a 28,4%,14,7%,9,6%, e 8,1%, respectivamente. Em relação às licenças aprovadas por característica, verifica-se que 97% são licenças novas, 1% licença de alteração e 3% diz respeito à licença de renovação. A habitação familiar representa 68,7%, centros comerciais com 9,3%, comércio tradicional com 5,4%, “habitação em convivência” com 3,9%, e culto e animação com 3,0%. Quanto à titularidade, 78% das licenças aprovadas pertencem a pessoas singulares, 15% a empresas privadas, 3% a empresas de serviços públicos, 2% a cooperativas de habitação e 3% são pertença de instituições sem fins lucrativos. Neste momento, o INE realiza o Inquérito de Despesas, Receitas e Emprego em Angola (IDREA), processo que começou em Março do ano em curso e termina em Fevereiro de 2019, tarefa que está a ser totalmente financiado pelo Banco Mundial, e possui um orçamento de USD nove milhões.

O PIB , pois claro

Na sua comunicação, José Calenge, chefe do Departamento de Contas Nacionais, avançou que no terceiro trimestre de 2018, o Produto Interno Bruto (PIB) teve uma variação negativa de 1.6% em relação ao período homólogo de 2017. “Na base desta variação teve como base o decréscimo nos sectores da agricultura, das pescas, diamantes, construção civil e outros. O petróleo continua a ser o grande sustentáculo do PIB com um peso de 36%”, realçou.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!