Cobalt Energy transfere participação no bloco 21 a Sonangol

A decisão vem expressa em Diário da República de 15 de Janeiro e faz referência a um Decreto Executivo do ministro dos Petróleos, Diamantino de Azevedo

Cobalt Internacional Energy Angola Limited foi autorizada, por despacho do ministro dos Petróleos, a ceder à Sonangol a totalidade da sua participação no Bloco21/09. “Nesta senda, a Sonangol efectuará a transmissão da participação para a sua afiliada Sonangol Pesquisa e Produção, que assumirá todas as obrigações e responsabilidades referentes ao interesse alocado”, refere o despacho ministerial.

A autorização, refere o despacho, resulta da manifestação de interesse por parte da empresa Cobalt Internacional Energy em transferir para a Sonangol-EP, de acordo com o estabelecido no contrato de serviços de risco do Bloco, a totalidade da sua participação associativa de 40%, sendo que a petrolífera nacional aceita a cessão e os respectivos direitos, privilégios, deveres e obrigações decorrentes do contrato. “A partir da publicação da decisão, 15 de Janeiro, a Sonangol Pesquisa e Produção passa a ser detentora de 100% de interesse participativo”, avança o documento. Pode ler-se ainda que é autorizada a mudança da entidade que exerce a função de operador, sendo designada a Sonangol Pesquisa e Produção.

Prorrogação no Bloco-15

Por via do Decreto Executivo 24/19, o ministro dos Petróleos autorizou a prorrogação do período de pesquisa da concessão do Bloco 15/14 – Lira, por um período de quatro anos, a contar de 15 de Junho de 2020. A medida é justificada pela necessidade se dar continuidade aos trabalhos que visam uma melhor avaliação do bloco, mediante a utilização de métodos geológicos, geoquímicos/geofísicos, com vista à localização de jazigos e aferição do potencial petrolífero da área, viabilizando a estratégia definida para a implementação de prospectos de gás natural.

O objectivo, de acordo com o documento, é fornecer gás natural à fábrica Angola LNG, situada no município do Soyo, província do Zaire. Num outro despacho, 25/19, o ministro Diamantino de Azevedo autorizou a prorrogação do período de pesquisas da concessão do Bloco-3/15 – Alce e Gunga, por um período de três anos, a contar de 01 de Julho de 2021. O bloco tem também como uma das finalidades fornecer gás natural à Angola LNG e mitigar o risco do défice de fornecimento de gás, a partir de 2021, bem como manter a fábrica em pleno funcionamento.

error: Content is protected !!