Empresa do sector energético abre portas a estágios curriculares

Trata-se da Rede Nacional e Transporte, uma das três empresas públicas do sector energético, que assinou, ontem, um protocolo de cooperação com instituições universitárias

A rede Nacional de Transporte EP (RNT) vai doravante receber estudantes de engenharia electromecânica e electrotecnia com finalidade de proporcionar oportunidades de estágio. Os termos do acordo foram ontem rubricados por aquela empresa do sector energético e 4 universidades e institutos superiores que ministram os referidos cursos.

O protocolo, que começa a ser implementado ainda no presente ano académico, contempla nesta fase a Universidade Agostinho Neto (UAN), a Universidade Jean Piaget (UNIPIAGET), o Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências (ISPTEC) e o Instituto Superior Politécnico Alvorecer da Juventude (ISPAJ).

A iniciativa, que é “apadrinhada” pela Ordem dos Engenheiros de Angola, surge no âmbito da responsabilidade social corporativa da RNT-EP, e segundo o presidente do Conselho de Administração daquela empresa, engenheiro Rui Pereira do Amaral Gourgel, para além de melhorar a formação dos finalistas dos cursos de engenharia, visa “munir os futuros profissionais com bases práticas para mais facilmente serem integrados no mercado de trabalho”.

O protocolo ora rubricado vai permitir a criação de uma base de dados em que poderão constar os melhores formados e, logo, potenciais contratados, estabelecer um ranking próprio das melhores universidades do ramo e providenciar um feedback sustentado para as instituições universitárias no que tange a qualidade dos seus processos formativos. Rui Gourgel apela para que outras empresas no mercado de trabalho no país “repliquem” a iniciativa da RNT para que por via disso se possa melhorar a qualidade dos quadros. “Sai a ganhar, a universidade, as empresas, os formados e acima de tudo o país”.

Os estágios curriculares que RNT vai acolher terão em media duração de 3 a 6 meses e serão proporcionados a estudantes finalistas seleccionados pelas instituições de ensino mediante critérios objectivos. Durante o estágio os formandos deverão dar um labor não superior a 4 horas/dia e a sua vinculação à empresa será regulada na base de um termo de compromisso à luz de instrumentos normativos que foram produzidos pela RNT, como é o caso do Regulamento de Estágios Curriculares e as Normas e Procedimentos do Estágio.

À partida os estágios não serão uma via automática para a contratação, mas a empresa de transporte de electricidade de Angola “reserva-se” ao direito de a título unilateral convidar aqueles que forem considerados necessários e mediante disponibilidade de vagas de emprego.

Os estágios, a serem acompanhados por pessoal profissionalmente apto para tal, culminarão com a emissão de comprovativo de fim de formação e consequente recomendação a Ordem dos Engenheiros de Angola dos nomes daqueles que merecerem ser inscritos na instituição de regulação desta categoria profissional.

Instituições universitárias e Ordem agradecem

Os representantes das quatro instituições contempladas no âmbito do protocolo ontem rubricado foram unanimes nos seus pronunciamentos, agradecendo a oportunidade que a RNT proporciona, enquanto “piscam o olho” a outras empresas do ramo e não só.

O bastonário da Ordem dos Engenheiros de Angola, Paulino Neto, diz que a instituição está engajada a dar o seu contributo para que a qualidade do ensino superior em Angola seja uma realidade.

“A Ordem quer continuar a dar o seu contributo para que os engenheiros que actuam no nosso mercado tenham as necessárias competências que lhes possibilitem usar o conhecimento adquirido na procura de soluções para os problemas da sociedade”, frisou o bastonário para justificar o engajamento da instituição neste tipo de iniciativa.

error: Content is protected !!