Plano metropolitano de Luanda analisado em Conferência da Rádio Mais

Quatro temas serão discutidos na conferência promovida por esta estação, pensando no ajustamento deste documento da capital do país para a realidade dos bairros, distritos e municípios até 2030. A entrada será livre mediante a marcação

Os desafios do Plano Director Geral Metropolitano de Luanda (PDGML) será motivo de uma conferência promovida pela Rádio Mais do grupo Media Nova, na próxima Quarta-feira, 30 na Academia Bai, em que o contributo dos preletores aparece para enriquecer a implementação efectiva do documento. Pensar Luanda até 2030 e ajustar o plano à realidade dos bairros, distritos e municípios é o mote da conferência que estará dividida em quatro temas com igual número de prelectores.

A requalificaçao dos musseques e o modelo habitacional rural para as cidades sustentáveis e inteligentes vão dominar a primeira parte da discusão do PDGML, segundo Angelino Quissonde, membro da organização do evento.

Angelino Quissonde disse que os engenheiros e arquitetos pretendem mostrar que é possível ajustar o plano metropolitano de Luanda à realidade dos nossos bairros, criando, para o efeito, planos distritais e municipais.

“Se as administrações tivessem os seus planos, sempre que os munícipes solicitassem as licenças de construção já se saberia se o espaço está destinado à construção de moradias ou de outras infra-estruturas sociais”, referiu. Com os planos municipais, se evitaria também a construção em linhas de água e estariam acauteladas as dimensões das ruas para que futuramente as redes técnicas fossem implementadas sem problemas.

O segundo tema discutirá o modelo de habitação social e rural sustentável para uma cidade inteligente, cujo objectivo é levar ao debate aspectos que permitam utilizar recursos locais para construção desta infra-estrutura. Um dos grandes problemas de Luanda é a mobilidade urbana, razão pela qual a Rádio da Nova Angola propôs para discussão dos especialistas no terceiro tema as infra- estruturas rodoviárias, que vai olhar para o paradigma das autarquias locais.

Este tema aborda ainda o acesso à água e à energia eléctrica, como fazer chegar às populações com menos custos e a questão do desperdício no espaço público e no consumo doméstico. Micro e macrodrenagem, as ravinas e o seu impacto na qualidade de vida dos munícipes, quer nos locais urbanos, como nos bairros periféricos, será o último tema do dia.

“Estas conferências são sempre importantes, mesmo que os avisos não sejam levados em consideração no momento.

Os técnicos fazem a sua parte alertando e/ou dando as suas contribuições, mas a aplicação prática envolve outra logística e principalmente o entendimento de quem dirige”, disse Quissonde. Importa referir que este evento é realizado em parceria com a organização Vias do Bem e nele participam técnicos ligados ao Governo Provincial de Luanda (GPL), administrações locais, arquitectos e engenheiros. A entrada livre para outros interessados deverá fazer-se por marcação pelos telefones: 928 006 956 e 990 006 956.

Sobre PDGML

O plano Director Geral Metropolitano de Luanda (pDGML), lançado a 14 de Dezembro de 2015, permitirá organizar melhor a cidade e conferir maior modernidade e sustentabilidade para os residentes.

Este plano foi aprovado em reunião do Conselho de Coordenação Estratégica da província de Luanda, orientada pelo então presidente angolano, José Eduardo dos Santos, sendo um instrumento para o ordenamento do território e planeamento urbano a implementar nos próximos 15 anos.

error: Content is protected !!