Tribunal prossegue com julgamento da “Burla à Tailandesa”

Os tailandeses Manin Wantchanon (25 anos) e Theera Buanpeng (29 anos) foram interrogado ontem pelos intervenientes na Burla à Tailandesa no Tribunal Supremo, em Luanda.

Ambos fazem parte do grupo de dez cidadãos nacionais e estrangeiros acusados de diversos crimes, entre os quais o de tentativa frustrada de burlar 50 mil milhões de dólares ao Estado angolano. Manin Wantchanon esclareceu as circunstâncias em que conheceu o eritreu Million Isaac Haile, no hotel Epic Sana, que desembolsou 7 milhões de Kwanzas e 13 mil dólares alegadamente pela contra de acções na empresa tailandesa Centennial Energy Thailand, Company. Raveeroj Rithchoteanan, o alegado bilionário tailandês, declarou em tribunal que vendeu cinco por cento das acções da sua empresa ao cidadão eritreu ao preço de 100 mil dólares.

Million Isaac Haile lhe entregou a soma monetária acima mencionada como parte dos 100 mil dólares que deveria desembolsar em duas prestações, sendo que na primeira seria 50 mil dólares e o restante na segunda. Million Isaac Haile terá ido à procura deles por se ter apercebido, através de uma das estações televisivas, que tinham 50 mil milhões de dólares para investir no país.

Ambos celebraram um contrato de investimento que tinha como um dos aspectos relevantes não só a atribuição das acções, como, também, a possibilidade de exercer o cargo de director executivo, com responsabilidade de dirigir a área de importação e exportação de bens. Os cinco por cento das acções estavam avaliadas em 100 mil dólares.

error: Content is protected !!