ONU pede a moçambique a libertação imediata de jornalista detido há 20 dias

O apelo é feito por David Kaye, relator especial das Nações Unidas para a área de liberdade de expressão, e por Seong- Phil Hong, secretário-geral do Grupo de Trabalho sobre Detenções Arbitrárias Especialistas em Direitos Humanos das Nações Unidas pediram esta Sexta-feira, em Genebra, a libertação imediata do jornalista Amade Abubacar, cuja detenção pelas autoridades moçambicanas, há 20 dias, tem sido contestada por diversas organizações.

As autoridades moçambicanas devem libertar imediatamente o jornalista Amade Abubacar e investigar as alegações de que ele foi maltratado”, anunciaram relatores independentes da organização, em comunicado. O repto é lançado por David Kaye, relator especial das Nações Unidas para a área de liberdade de expressão, e por Seong- Phil Hong, secretário-geral do Grupo de Trabalho sobre Detenções Arbitrárias. “Numa altura de ameaças crescentes para jornalistas e órgãos de comunicação independentes”, a prisão de Amade Abubacar e “as alegações de que foi maltratado são extremamente preocupantes”, referiu Kaye.o pelo trabalho de um jornalista.