GMA rejeita qualquer hipótese de passar à tutela do Estado

GMA rejeita qualquer hipótese de passar à tutela do Estado

Apontada pelo jornal português Expresso como sendo uma das empresas que poderão cair na esfera do Estado angolano, por, alegadamente, ter benefiaciado de fundos públicos não devolvidos, uma fonte da empresa Grandes Moagens de Angola (GMA) rejeitou esta possibilidade porque a sua instituição celebrou um contrato de mútuo com o Banco de Desenvolvimento de Angola que vem sendo honrado. Idealizada em 2015, no mesmo ano em que os seus accionistas celebram um contrato com o Banco de Desenvolvimento de Angola, informações avançadas a este jornal indicam que a Grandes Moagens beneficiou desde aquela altura de um crédito de 68.003.930 dólares norte-americanos.


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta