Parque Nacional de Luengue-Luiana regista 14 espécies de animais

O ministério do Ambiente realizou em Setembro do ano passado uma contagem de animais no Parque Nacional de Luengue- Luiana, na província do Cuando-Cubango, cuja conclusão dá conta da frequência de 14 espécies

Localizado na segunda maior província do país, Cuando Cubango, o Parque Nacional de Luengue- Luiana, criado em 2011, cobre a Reserva Parcial de Luiana, partes das coutadas públicas de Longa-Mavinga, Luengue, Luiana e de Mucusso, numa superfície 22.610 km². No estudo disponibilizado pelo Ministério do Ambiente os transectos foram apenas traçados na parte Sudeste extrema do Parque que, representa uma área de aproximadamente de 2.030 km2. Ao total, 14 espécies foram registadas, mas apenas 4 espécies tiveram mais de 10 aparições. As espécies são: Babuínos, Búfalo, Bâmbi, Gunga, Impala, Kudu, Songue, Nunce, Palanca Preta, Punja, Macaco, Facochero, Burro do mato e Zebra.

As 5 principais espécies em termos de números foram Impala, Bâmbi, Búfalo, Nunce e Songue lechwe. As densidades para as três espécies, ou seja, Bâmbi, Impala e Nunce foram 9,2; 19,6 e 10,2 animais por 100 km2, fornecendo estimativas de 186; 399 e 208 animais em toda a área de contagem. “As tendências (animais vistos por unidade de distância e / ou densidades de espécies) são uma ferramenta útil para avaliar a estabilidade de uma determinada espécie, desde que o método de contagem permaneça consistente ao longo do tempo. Isso talvez seja mais importante para fins de gestão do Parque que para determinar as estimativas populacionais”, defende o estudo.

Para obter estimativas populacionais (usando o método “DISTANCE”) para uma selecção de espécies no Parque, é necessário um número adequado de observações para cada espécie, de forma a que sejam determinados os perfis de detecção usados para extrapolar números de animais em áreas mais vastas. O estudo concluiu ainda que o facto de que os transectos serem limitados a uma porção do Parque, e de apenas uma pequena porção do Parque ser a amostra, impede a extrapolação para outras áreas. Deve- se abrir mais rotas de transectos em todo o Parque para incluir todos os habitats e serem mais representativos.

A província de Cuando Cubango caracteriza-se por três grandes zonas de vegetação, maioritariamente compostas por floresta densa seca, savana com arbustos e árvores na metade setentrional, quadrante Noroeste. A vegetação do Parque é dominada por savanas de folhas largas com vários redes ribeirinhas atravessando o Parque. No Sudoeste, pode encontrar-se a Reserva Parcial de Luiana, caracterizada por madeira preciosa, espécies de mussivi, girassonde, mume, mupanda muinga, entre outros.

error: Content is protected !!