Plataforma digital começa a vender este mês bens agrícolas

Plataforma digital começa a vender este mês bens agrícolas

Comprar máquinas, produtos e pagar outros bens e serviços agrícolas no país ainda constitui preocupação para os agricultores e até mesmo para os grandes fazendeiros. O facto tem afectado em grande medida a produção nacional. Atenta à necessidade, a empresa Weza lança, no próximo dia 06, em Luanda, o “Portal do Agronegócio de Angola – UIZA.co.ao”, nas instalações da Agência de Investimento Privado e Exportações de Angola (AIPEX) . Em exclusivo ao OPAÍS, o seu CEO avançou que recebem diariamente, através das redes sociais, solicitações de pessoas singulares e de empresas que pretendem vender por via do Website que será lançado na próxima semana. Chris Masters adianta que “apesar de ainda não termos instalada a plataforma, já temos recebido muitas solicitações.

E quando pensamos nesta solução a nossa preocupação foi sempre os pequenos e médios agricultores, que não têm muitas opções de compra, uma vez que os grandes têm sempre onde adquirir máquinas, fertilizantes e outros serviços”, disse, sem avançar o número de inscritos até ao momento. Fertilizantes, pesticidas e máquinas são os bens mais procurados por via das plataformas digitais (whatsap e facebook). Agora, o processo será mais fácil com a criação do Website. Chris Master pessorevela: “não vamos cobrar nada para que as pessoas vendam na página web. No entanto, no futuro, quando acrescermos outras valências, aí sim, vamos passar a cobrar”.

Com a iniciativa, refere, a Weza pretende inovar, bem como apostar nas redes sociais como forma de angariar novos utilizadores deste serviço. Trata-se do primeiro portal web dedicado exclusivamente ao agronegócio no país. No acto de lançamento da plataforma será anunciado igualmente o lançamento de outros serviços, realçando a disponibilização de uma bolsa de emprego específica para o sector agrícola, processo que conta com a parceria da empresa Jobartis. Importa lembrar que a agricultura é dos sectores prioritários na estratégia do Executivo de diversificação económica em curso no país, tendo beneficiado de um aumento na dotação orçamental prevista no Orçamento Geral do Estado.