Carta do leitor: Chuva: o fiscal de Luanda…

POR: António Ombela

Director do jornal o PAíS, muito obrigado pela o espaço que me concede nesta página da carta do leitor. A minha carta visa homenagear os heróis do 4 de Fevereiro que pegaram em catanas para atacar as cadeias, iniciando a luta contra o regime colonial português. ontem foi um dia de chuva em Luanda e arredores, apesar de ser obra da natureza, é o fiscal da província de Luanda. o termo vem dar luz às obras paliativas que têm sido feitas na área de saneamento básico, recolha de lixo e outros serviços. Quando chove em Luanda, os transtornos multiplicam-se, porque as águas paradas e outros males cruzam-se. Para o novo governador da província, Sérgio Luther Rescova, o tarefa será a dobrar. Há bairros, assim que choveu, que ficam sitiados e não se consegue mover até ao portão, pois as águas tomam conta de tudo. Aconselho Sua Excelência a fazer uma visita aos bairros mais críticos da província ao lado de técnicos capacitados. Está provado que muitos problemas de Luanda podem, com vontade, ser resolvidos sem se gastar milhões e milhões de kwanzas como no outro tempo. Para isso, a equipa deve ser forte, coesa e objectiva, mas não se deve igonrar o papel das administrações municipais neste processo. Muitos bairros entraram em avançado estado de degradação no tempo seco e das chuvas por falta de apoio às administrações. Espero que na gestão de Sérgio Luther Rescova isto não volte a acontecer, aliás, já se vislumbra a transferência de competências ao poder local